Yes prepara DVD de show como octeto

Estadão

22 de agosto de 2010 | 09h00

Marcelo Moreira

Poucos grupos de rock trocaram tanto de integrantes como o Yes. A banda inglesa de rock progressivo, famosa pelo som complexo e refinado e pelas composições quilométricas, jamais emendou quatro anos com a mesma formação em seus 42 anos de existência.

A mais inusitada delas foi a durou de 1990 a 1992. Reuniu nada menos do que oito integrantes, todos com passagens anteriores pela banda e com carreiras solo empacadas ou em recesso à época. Este período será retratado oficialmente em um DVD e um CD ao vivo, a serem lançados em 2011.

A chamada “Yes Union Tour” começou em 1991 e terminou no início de 1992. Surgiu de forma “improvisada”, se é que podemos chamar assim.

Quando o Yes terminou em 1981, após o fracassado do álbum “Drama”, sem Jon Anderson, e da turnê subsequente, o baixista Chris Squire e o baterista Alan White tentaram formar uma banda com Jimmy Page e Robert Plant, ambos ex-Led Zeppelin.

O XYZ, nome do projeto,  começou a ensaiar no final de 1981 em Los Angeles, mas PLant logo abandonou o projeto na primeira semana. Page desistiu um mês depois. Sem saber o que fazer, Squire e White foram apresentados ao guitarrista sul-africano Trevor Rabin, que aceitou trabalhar com os dois. O ex-Yes Tony Kaye foi recrutado para o que viria a ser o Cinema.

No fim de 1982, durante as gravações do primeiro CD do Cinema, Jon Anderson visitou Squire no estúdio e adorou o que estavam fazendo. Convenceu os quatro de que seria interessante ele entrar na banda e renomeá-la como Yes. O álbum, “90125”, de 1983, estourou com o megahit “Owner of a Lonely Heart” e o grupo viveu seus maiores dias de glória.

Entretanto, as tensões entre os membros surgiram quatro anos depois, na turnê do álbum “Big Generator”. A orientação mais pop irritou Anderson, que saiu do grupo novamente (como fizera em 1980). O Yes seguiu em frente com Rabin como vocalista.


‘ONWER OF A LONELY HEART” – UINON TOUR – DENVER 1991

Para fazer “pirraça” para o então ex-amigo Squire, Anderson de brincadeira reuniu três outros ex-Yes em sua casa para uma jam session e espalhou que seria um novo Yes. Ele, Rick Wakeman (teclados), Steve Howe (guitarra) e Bill Bruford (bateria) se reuniram mais de uma vez e acabaram compondo algumas músicas. O que era brincadeira ficou sério e empresários correram para viabilizar a gravação de um novo álbum.

A ideia era que o grupo se chamasse Yes, mas Chris Squire, claro, não permitiu, primeiro porque ele detinha os direitos sobre o nome, e segundo porque ainda existia um Yes em atividade. Com o nome de Anderson, Bruford, Wakeman and Howe, os quatro, mais o baixista Tony Levin (King Crimson) gravaram um CD, com o nome da banda apenas, e saíram em turnê mundial.


“WHITE-BRUFORD DRUMS DUET” – UNIOR TOUR – DENVER 1991

Enquanto isso, o Yes hibernava e muito lentamente começava os trabalhos para um novo álbum. A fome de bola do Yes alternativo era tanta que, ao final da turnê mundial, voltaram ao estúdio para gravar novo CD.

Capa do CD 'Anderson, Wakeman, Bruford and Howe', de 1989

Capa do CD 'Anderson, Wakeman, Bruford and Howe', de 1989

E eis então que Jon Anderson reata a amizade com Squire e Rabin em 1990, ao mesmo tempo em que a gravadora recusa algumas das ideias musicais do “Yes alternativo”. Anderson pede a Rabin que ceda algumas músicas para reiniciar os trabalhos com o Anderson, Bruford, Wakeman and Howe.

As músicas caem em cheio no gosto do “Yes alternativo” e então um empresário tem a ideia de remontar o Yes juntando os quatro músicos do Yes original e os quatro do alternativo. Cada um dos grupos jpa havia composto, gravado e mixado quatro músicas cada. Isso não foi impedimento, já que todas aparecem no CD “Union”, lançado em 1991.

Capa do CD

Capa do CD "Union", de 1991

Pela primeira vez o Yes aparecia em CD como um octeto – vocal, baixo, duas guitarras, dois teclados e duas baterias. Essa formação saiu em turnê pelos Estados Unidos e Europa – o registro em DVD/CD que saiu em 2011 é desta turnê.

É claro que os egos inflados e enormes eram muito maiores do que o espaço no palco. Houve insatisfações, resmungos, mas nenhuma discussão grave. A turnê foi bem-sucedida, mas ao final cada músico seguiu seu caminho.

O Yes só retornaria em 1994 com o CD “Talk”, com a formação que gravou “90125” – Jon Anderson, Chris Squire, Tony Kaye, Trevor Rabin e Alan White. A turnê deste álbum passou pelo Brasil em 1995.

Quem assistiu aos shows na época ficou admirado ao constatar a qualidade técnica e o profissionalismo dos músicos em apresentações impecáveis, embora já sem a mesma empolgação dos anos 70. Sendo assim, o DVD/CD a ser lançado torna-se imperdível no ano que vem.

@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@

Aproveite e ouça o programa-podcast Combate Rock nº 1, produzido pela equipe do blog Combate Rock, que analisa e critica os shows internacionais que ainda ocorrem este ano.

Parte1 by mmoreirasp

Parte2 by mmoreirasp

Parte3 by mmoreirasp

Parte4 by mmoreirasp

@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@


“LONG DISTANCE RUNAROUND” – UNION TOUR – DENVER 1991

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: