Whitesnake veste camisa do Brasil no Anhembi

Estadão

21 de outubro de 2013 | 17h06

Jotabê Medeiros – O Estado de S. Paulo

O grupo britânico Whitesnake literalmente vestiu a camisa. O vocalista David Coverdale, um dos maiores ícones do rock’n’roll, subiu ao palco vestindo uma camisa com estampas, na frente e nas costas, de uma bandeira do Brasil estilizada (um logotipo do Whitesnake no centro). Outra bandeira do Brasil esperava no púlpito da bateria.

O vocalista David Coverdale - JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão
O vocalista David Coverdale

Fazendo juras de amor ao País, gritando “São Paulo” o tempo todo, Coverdale mostrou grande forma a partir da primeira música, Give Me All Your Love, e quando engatou um par de hits em sequência (Love Ain’t No Stranger e Is This Love, que frequentam o dial das radios FM há décadas), o Anhembi sucumbiu de vez ao velho ato do hard rock.

A banda alternou peso e habilidade melódica, com grandes baladas no meio de grandes petardos – houve até um momento meio Crossroads (A Encruzilhada, filme de Walter Hill), no qual os dois guitarristas, Doug Aldrich e Reb Beach, medem forças e vão progressivamente se encaminhando para um ambiente de Delta do Mississippi, até se “fuzilarem” com uma gaita e solos virtuosos.

Coverdale, que quando começou na carreira de vocalista era tido como um imitador de Robert Plant, do Led Zeppelin, é ainda uma potência vocal. Ele se poupa um pouco em alguns agudos, deixando para a banda, mas não é porque não possa alcançá-los – é estratégia de veterano. Ele disse a Eddie Trunk, apresentador da jornada, que o Whitesnake faz o último show dessa turnê em Brasília, e logo em seguida eles tiram uma “folga para o Natal e a família”. É um show de rock imperdível.

Tudo o que sabemos sobre:

Aerosmith

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: