Vocalista Vítor Rodrigues deixa o Torture Squad

Estadão

19 de abril de 2012 | 17h00

Marcelo Moreira

Um dos gigantes do metal nacional surpreendeu os fãs neste mês de abril ao anunciar a saída de seu vocalista. Vítor Rodrigues não é mais o cantor da banda paulista Torture Squad, grande nome do thrash metal sul-americano. O músico deixa o grupo após 19 anos e ainda não revelou quais serão seus próximos passo profissionais.

Em nota divulgada por sites especializados, Rodrigues disse que a decisão não foi tomada de forma intempestiva. “Após muito tempo de reflexão tomei a difícil decisão de deixar o Torture Squad. Foram 19 anos de experiências fantásticas ao lado de pessoas muito talentosas, mas às vezes é preciso tomar certas atitudes, e não ter medo de enfrentar novos desafios. Obviamente não deixarei a música e espero em breve estar nos palcos com outra banda. Aos meus ex-companheiros desejo toda a sorte do mundo.”

Embora pouco esclarecedora, a declaração do ex-vocalista mostra que sua saída foi aparentemente tranquila e sem sobressaltos. A banda soltou uma nota oficial bastante sóbria, mas não menos cautelosa.

Vítor Rodrigues, ex-vocalista do Torture Squad

“Após nosso show em Brasília, o Vitor nos chamou para uma conversa, expressou sua vontade de deixar o grupo e explicou suas razões. Ele disse que havia decidido buscar coisas novas para a sua vida e este seria o momento ideal pois seria melhor para todos que esta vontade viesse à tona antes da gravação do novo disco. E se isso realmente for para a felicidade dele, nós respeitamos sua decisão e desejamos o melhor para ele em sua nova empreitada.

Quanto a nós, continuamos tocando e compondo com a mesma paixão de sempre. Há pouco mais de um ano, em janeiro de 2011, André Evaristo estava entrando na banda desferindo riffs e músicas nos ensaios, juntando com antigas músicas que não gravamos e lançamos ainda, conclusão: Temos quatorze músicas novas sendo que separamos dez para um novo álbum, faltando apenas detalhes na pré-produção antes de começar a gravar nosso sétimo álbum.

Optamos por permanecer como um trio com o André assumindo os vocais e o Castor fazendo o apoio como antes. Já estamos ensaiando a algum um tempo dessa forma e a cada ensaio sua voz vem se encaixando melhor nas músicas.

Em relação aos planos futuros, eles continuam os mesmos. Gravaremos uma pré do disco novo em julho, a gravação do álbum entre outubro e novembro e será agora como um power trio que faremos os próximos e importantíssimos shows da nossa carreira, que serão o festival Metal Open Air em São Luiz do Maranhão (22/04), com o Anthrax e o Misfits em São Paulo (27/04), e pela primeira vez em Palmas (TO) como atração principal no Tendencies Festival (12/05).

Podem ter certeza de que continuamos firmes e fortes tocando a nossa música com a maior energia do mundo e esperamos que todos compareçam aos shows para prestigiar essa mais nova fase da Tortura.

The torture never stops!”

Amilcar Christófaro, Castor e André Evaristo”

Tudo o que sabemos sobre:

Torture SquadVítor Rodrigues

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.