Virada Cultural também terá Palco MTV, alternativos, bizarrices, jazz, soul e funk

Estadão

04 de maio de 2012 | 11h30

Marcelo Moreira

Outra novidade da Virada Cultural de São Paulo em 2012 é a criação do Palco MTV, com atrações que vão do rap ao rock, passando pelo hardcore, mesclando bandas novas com as já conhecidas do público. O palco estará localizado na avenida Cásper Líbero, próximo da Estação da Luz.

Os destaques aqui são o Cachorro Grande, banda gaúcha de pop rock com bastante visibilidade na emissora de TV que dá nome ao palco, e os emos do Fresno, que tentam provar que evoluíram e deixaram o estigma do rótulo para trás. Assista também com atenção o bom trio carioca Autoramas e a banda pop da moda dos moderninhos, os mato-grossenses do Vanguart.

A banda Cachorro Grande ( FOTO: JF DIORIO/AE)

O palco Barão de Limeira, na alameda de mesmo nome, mais uma leva de atrações roqueiras alternativas, sendo algumas totalmente bizarras, como o cantor Serguei, de 75 anos, aquele que diz ter conhecido e namorado Janis Joplin quando ela veio ao Brasil.

Só que, entre as bizarrices e as “alternativices”, há uma pérola: Daevid Allen & Gong Global Family. O líder da banda, um cantor australiano alucinado que a vida inteira fez mpusica experimental, foi um importante expoente do rock progressivo na segunda metade dos anos 70, quando o seu Gong estava radicado na França. No mínimo é uma atração curiosa.

Também merece alguma atenção a banda moderninha Man… Or Astroman?, dos Estados Unidos, que já é veterana mas sempre manteve a aura cult. Poppa Chubby, músico também norte-americano, encerra a noite, logo depois da bizarra dupla Borthers of Brazil (Supla e seu irmão João Suplicy).

Ainda neste palco, mais uma curiosidade: o resgate de bandas paulistanas do cenário alternativo dos anos 80, como Pin Ups e Não Religião, e os deslocados gaúchos Júpiter Maçã e Defalla.

Para quem aprecia jazz, blues, funk e soul de qualidade, o palco República tem atrações de peso. As recomendadas são todas norte-americanas: o ótimo McCoy Tyner Quartet, Larry Graham e Graham Central Station e o cult mas badalado cantor de soul e rhythm and blues Charles Bradley, um talento descoberto tardiamente.

O palco Shopping Light também é novo, mas decidiu por uma programação esquisita, com bandas covers, coisa desnecessária em um evento deste porte. Seja como for, quem quiser ouvir clássicos do AC/DC, Kiss e Deep Purple, este é o lugar.

Horários

Cásper Líbero

– 19h Quarto Negro
– 21h Ogi
– 23h Projota
– 1h Galinha Preta
– 2h30 Periferia S.A.
– 5h O Terno
– 7h Vivendo do Ócio
– 9h Vanguart
– 11h Cachorro Grande
– 13h Filhos da Judith
– 14h30 Forfun
– 16h30 Autoramas
– 18h Fresno

Barão de Limeira

– 18h Serguei
– 20h A Bolha
– 22h30 Man Or Astro-Man? (Eua)
– 1h Daevid Allen & Gong Global Family (Austrália)
– 3h30 Jupiter Maçã
– 6h00 Não Religião
– 8h30 Pin Ups
– 11h Defalla
– 13h30 Brothers of Brazil
– 16h Popa Chubby (Eua)

República

– 19h Mccoy Tyner Quartet (Eua)
– 21h30 Lou Donaldson (Eua)
–  0h Roy Ayers (Eua)
– 2h30 Raul de Souza com Zimbo Trio
– 5h Violentango (Argentina)
– 7h30 David Broza (Israel)
– 10h Dexter
– 12h30 Flora Matos e Lurdez da Luz
– 15h Charles Bradley (Eua)
– 17h30 Larry Grahame GrahamCentral Station (Eua)

Shopping Light

– 19h Deep Purple Cover – Fractius
– 21h AC/DC Cover Dirty Deeds
– 23h Kiss Cover – Destroyer – Destroyer Kiss Cover
– 14h Saltimbancos
– 15h Baile da Virada

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.