Viper volta com André Matos pela celebração e em busca de redenção

Estadão

17 de maio de 2012 | 17h00

Marcelo Moreira

A cena é das mais esquisitas. Dois cabeludos, vestidos de preto, com camisas de banda de rock, pegam um violão jogado em uma sala de uma faculdade de comunicação de São Paulo, e começam a entoar a moda sertaneja ” No Rancho Fundo”, da então iniciante e pouco conhecida dupla Chitãozinho e Xororó. Provocaram risos, mas também a ira de roqueiros xiitas indignados com tal heresia. Os dois ignoraram os protestos e continuaram zoando com músicas bregas e pop.

Poucos sabiam que ali, em 1988, estavam dois moleques de 18 anos, recém-integrados ao curso de propaganda da Faculdade Cásper Líbero, que fizeram história no heavy metal nacional ao lançar dois anos antes o mítico “Soldiers of Sunrise”, que pdoe ser considerado o primeiro álbum brasileiro do gênero gravado de forma um pouco mais decente, ainda que alguns o considerem tosco.

Para um álbum gravado e lançado por garotos brasileiros de 14 e 15 anos, estava bom demais, para inveja de muito metaleiro que ainda ralava bastante para conseguir tocar em um boteco fétido da periferia.

Pedro “Pit” Passarell, baixista (e posteriormente vocalista) e Felipe Machado, guitarrista, os dois “hereges” da Cásper, eram integrantes do então conceituado Viper, apesar de serem achincalhados por boa parte da cena pesada paulistana com adjetivos pouco lisonjeitos, como “posers”, “Playboys”, “filhinhos de papai”, “burguesinhos” e “Barbies do metal”, entre os adjetivos publicáveis.

Vinte e cinco anos, o Viper tenta ressurgir com uma notícia impactante: o retorno de André Matos, o vocalista original, para uma série de shows comemorativos com a formação clássica. O cantor dá uma parada em suas atividades em Estocolmo (Suécia), para onde se mudou em 2010, para se juntar aos antigos colegas e reviver os grandes momentos dos anos 80.

O grupo que vai se reunir a André Matos para a turnê de 25 anos de lançamento de “Soldiers of Sunrise” contará com Pit Passarell, Felipe Machado, o guitarrista Hugo Mariutti (ex-Shaman e atual André Matos) e o baterista Guilherme Martin, que em novo retorno. A banda promete tocar na íntegra seus dois álbusn clássicos, “Soldiers” e “Theatre of Fate”.

Yves Passarell, que está com Capital Passarell, promete algumas participações especiais durante a turnê. A ‘To Live Again Tour’ já tem a primeira data confirmada, dia 1o. de Julho no Via Marquês em São Paulo. As outras cidades serão anunciadas em breve.

Desde 1990 as mudanças na vida dos integrantes da então banda de garotos foram muitas e inacreditáveis. André Matos, o vocalista multiplatinado e internacionalmente reverenciado por suas passagens por Angra, Shaman, Virgo, Symfonia e sua carreira solo, abandonaria o gruop no auge, em 1990, logo após o lançamento do excelente “Theatre of Fate”.

A banda seguiria com Pit Passarell nso vocais e gravando mais três até que desabasse por volta de 1998. Felipe Machado se tornou jornalista, com a carreira voltada para as áreasde Cultura e mídias digitais; o baterista Ricardo Graccia engatou carreira na área de advocacia, enquanto o guitarrista Yves Passarell, irmão de Pit, substituiu Loro Jones na volta do Capital Inicial. Pit, por sua vez, se tornou um requisitado compositor de pop rock.

As tentativas de volta posteriores foram frustrantes. Em 2005, a banda regressou com Ricardo Bocci nos vocais, Val Santos na guitarra e Guilherme Martin (que ja chegou a tocar na banda anteriormente) na bateria. A banda lançou em agosto de 2005 o DVD “Living For The Night – 20 Years of Viper”, contendo imagens e vídeos de toda a carreira da banda.

Também em 2005 a banda lançou uma demo com novas músicas e a banda voltou com o estilo pesado que tinham em meados dos anos 80. Guilherme Martin deixou o grupo ainda em 2005 e passou a integrar a banda Luxúria. Renato Graccia (que também ja tocou na banda) retornou ao Viper em seu lugar, mas o ritmo de trabalho era lento. Praticamente não houve shows e a produção/gravação de um CD era mais vagarosa ainda.

Somente em 2007 a banda lançou o disco “All My Life” com um lado mais puxado para o metal melódico. Iniciaram a turnê no mesmo ano mas, devido a “projetos pessoais” de todos os integrantes, não houve continuidade para turnê, mesmo que pequena. Oficialmente, em 2009 declararam uma pausa na banda, o que ocasionou a saída de Ricardo Bocci, decepcionado com a falta de ambição da banda.

Por enquanto os atuais integrantes prometem apenas uma turnê comemorativa, sem grandes planos e ambições, já que todos mantêm outras atividades principais. Desde já é um dos acontecimentos do ano no heavy metal nacional.

Viper em São Paulo

Data: 1º de julho
Hora: 20h
Local: Via Marquês  http://viamarques.com.br/)
Endereço: Av. Marquês de São Vicente, 1589 – São Paulo/SP
Ingresso Especial: Camarote central + 2 músicas da passagem de som (17h00) + meet and greet com a banda

Ingressos online: http://ticketbrasil.com.br/novos/

Pontos de Venda:
Galeria do Rock Loja Baratos Afins 2º andar – Av. São João, 439 – São Paulo
(Crédito à vista ou parcelado em 3x)
Metal CD’s Santo André – Rua Dona Elisa Fláquer, 184 – Centro – Santo André/SP (Dinheiro, Crédito à vista ou parcelado em 3x)
Sick’n’Silly – Alameda Jaú, 1529 – Jardim Paulista – São Paulo (Dinheiro, Crédito à vista ou parcelado em 3x)
Chilli Beans – Rua Carlos Weber, 654 – Vila Leopoldina – São Paulo (Dinheiro, Crédito à vista ou parcelado em 3x)
Pagamento somente aceito com cartões: Visa / Master

ImagemA partir da esq.: Guilherme Martin, Pit Passarell, André Matos, Hugo Mariutti e Felipe Machado

Tudo o que sabemos sobre:

André MatosViper

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.