Unisonic se redime em ótimo show em São Paulo

Estadão

24 de maio de 2012 | 06h43

Marcelo Moreira

Ninguém ligou muito para o fato de o álbum de estreia do Unisonic, novo gigante alemão formado por duas lendas, Michael Kiske e Kay Hansen, ambos ex-Helloween, ter dividido opiniões. Havia uma certeza em São Paulo de que o grupo iria se redimir ao vivo, mesclando canções próprias e recuperando alguns clássicos da ex-banda dos dois líderes.

O álbum auto-intitulado, recém-lançado no Brasil pela Hellion Records, decepcionou um pouco por trilhar mais para o hard rock do que para o peso melódico do Helloween e do Gamma Ray, a atual banda de Hansen, que a fundou assim que saiu da antiga banda, em 1989. A canção “Unisonic” enganou um pouco, assim como o EP “Ignition”: as músicas eram rápidas e pesadas.

Ao vivo, entretanto, as previsões se confirmaram. O Unisonic se redimiu e fez um shows excelente, com vigor, peso e velocidade que faltaram em boa parte do álbum de estreia. E a constatação é óbvia: Kiske canta muito e continua sendo um dos maiores de sua geração, até hoje.

A abertura do show de 18 de maio em São Paulo, no HSBC Brasil, ficou a cargo dos suíços do Gotthard, em sua segunda passagem pelo país, mas sem o cantor Steve Lee, que morreu atropelado em 2010 em uma estrada dos Estados Unidos. Com novo vocalista, Nic Maeder, a banda era uma incógnita, mas acabou surpreendendo positivamente com seu hard rock com tempero californiano.

Bom cantor, Maeder foi competente, assim como a banda, para recriar clássicos como “Dream On” e “Top of the World”, que abriram o show de forma grandiosa. A nova mísica “Starlight”, que vai estar no próximo álbum da banda, a ser lançado em junho, agradou, servindo de cama para a primeira homenagem da noite a Steve Lee, a interesante “One Life, One Song”.

Outro bom momento foi a execução de “Hush”, clássico da música norte-americana eternizado pelo Deep Purple no final dos anos 60. “Ride On” levantou o público com seu ótimo riff, assim como “Anytime Anywhere”, que encerrou o bom show dos suíços.

O Unisonic entrou pilhado no palco e demonstrou com toda a energia que estava muito a fim de tocar e que estava realmente curtindo estar em São Paulo. “Unisonic”, a música mais pesada do álbum, era a óbvia escolha para abrir o show e ao vivo ficou muito mais pesada. Aliás, a banda ao vivo é bem pesada e mais rápida do que pudemos ver no CD.

“Never Too Late” manteve o pique para introduzir a primeira surpresa da noite, “March of Time”, do clássico álbum do Helloween “Keepers of the Seven Keys pt. 2”. Na sequência vieram quase todas as músicas do álbum de estreia, com boa variação de solos e duelos de guitarra entre Kai Hansen e Mandy Meyer (ex-Krokus), que demonstraram um entrosamento impressionante.

Todo mundo estava curtindo o show, mas era óbvio que o final era a parte mais aguardada, com as inevitáveis versões para mais clássicos do Helloween – afinal, o público compareceu em peso para presenciar a primeira aparição de Kiske de verdade em São Paulo, já que em 2010 ele se apresentou ao lado do Avantasia, projeto de Tonbias Sammet (Edguy), cantando apenas algumas músicas.

E o bis não poderia ser outro: uma dupla arrasa-quarteirão da antiga banda dos líderes, que transformou o local do show em arquibancada de time que está prestes a ganhar campeonato.

“Future World” e “I Want Out” redimiram por completo o Unisonic de uma estreia em estúdio relativamente decepcionante e transformaram em realidade o sonho de muitos roqueiros que nunca tiveram a oportunidade de ver o Helloween no auge da forma, no tempo das duas partes de “Keepers of the Seven Keys”. Um show perfeito e emocionante.

Músicas do Gotthard

1. Dream On

2. Top Of The World

3. Starlight

4. Sister Moon

5. Master of Illusion

6. Need To Believe

7. Give Me Real

8. Remeber It’s Me

9. One Life, One Song

10. Mountain Mama

11. Ride On

12. Hush (Billy Joe Royal cover)

13. Lift ‘U’ Up

14. Anytime Anywhere

 

Músicas do Unisonic

1. Unisonic

2. Never Too Late

3. Renegade

4. King For A Day

5. I’ve Tried

6. My Sanctuary

7. March of Time (Helloween cover)

8. Over The Rainbow

9. Star Rider

10. Souls Alive

11. We Rise

12. Never Change Me

13. Future World

14. I Want Out

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.