Um tributo que honra a grandeza do Deep Purple

Estadão

21 de novembro de 2012 | 16h12

Marcelo Moreira

Um álbum com o rótulo “tributo a uma banda” só vale a pena se tiver a participação de artistas do mesmo calibre do homenageado. Houve uma febre de tributos entre 1995 e 2005 onde 90% dos lançamentos eram grandes porcarias. Salvaram-se os três volumes “Nativity in Black”, do Black Sabbath, e os dois do Judas Priest.

Mas eis que um tributo ao Deep Purple surpreende em 2012 pelos nomes estrelados que participam e pela qualidade das versões. “Re-Machined” é uma comemoração dos 40 anos de lançamento de “Machine Head”, clássico do Purple, e reúne nomes como Iron Maiden, Metallica, Chickenfoot, Glenn Hughes, Joe Bonamassa, Carlos Santana e músicos de Def Leppard e Guns N’Roses.

O Iron Maiden aparece bem com “Space Truckin’”, gravada em 2006 para um lado B que não saiu. O Metallica brilha com a ótima “When a Blind Man Cries” e o Chickenfoot, com Joe Satriani e Sammy Hagar, deixa “Highway Star mais rápida e pesada em versão ao vivo.

Glenn Hughes aparece duas vezes e em grande estilo: em uma suingada e funky versão de “Maybe I’m a Leo” e no bônus da versão europeia, “Highway Star”, ao lado de Joe Satriani e Chad Smith. Essa faixa não está na versão nacional.

 Também merece uma audição atenta “Never Before”, com a banda Kings of Chaos, formada especialmente para o evento, com Joe Elliot (vocal, Def Leppard), Steve Stevens (guitarra, Billy Idol), Duff McKagan (baixo, ex-Guns N’Roses) e Matt Sorum (bateria, ex-Guns N’Roses e The Cult).

A única derrapada fica por conta das invencionices do Flaming Lips no hino “Smoke on the Water”. Um tributo digno do nome.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.