Um sinal de vida de um mestre do blues nacional

Estadão

01 de novembro de 2012 | 16h14

Marcelo Moreira

O guitarrista André Christóvam sempre se destacou como um dos mais originais músicos brasileiros. Virtuoso, técnico e refinado, estudou em escolas de música norte-americanas e fez parte do boom do rock nacional dos anos 80 com a banda Heróis da Resistência, até se encontrar no blues com cara bem brasileira.

Reconhecido internacionalmente e frequentemente requisitado por artistas de vários calibre, Christóvam estranhamente tem se mantido longe dos estúdios, aparentemente desgostoso com o mercado atual. Seu último álbum de inéditas é “Banzo”, de 2002.

Agora, graças a uma gravadora nova, o guitarrista rompe o silêncio e lança o seu primeiro álbum ao vivo, gravado em Porto Alegre em 2002 durante um festival de blues. E seu “convidado” é estrelado: o bluesman norte-americano Hubert Sumlin, morto em 2011.

Outro amigo esteve presente, o excelente guitarrista Coco Montoya, que já tocou com a lenda inglesa John Mayall. Entre clássicos do blues e canções mais obscuras, o que se vê é uma execução fervilhante e vigorosa de uma banda afiadíssima e uma performance cativante do convidado principal.

Tudo o que sabemos sobre:

André ChristóvamHubert Sumlin

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.