Um Bonamassa acústico e mais tradicional em São Paulo

Estadão

06 de agosto de 2013 | 17h00

Marcelo Moreira

O nerd do blues não respira. Workaholic assumido, o guitarrista norte-americano mal encerrou uma turnê europeia com a cantora Beth Hart e engata dois shows no Brasil, a exemplo do que ocorreu no ano passado. Livre dos compromissos com o Black Country Communion, banda de hard rock que mantinha com Glenn Hughes (ex-Deep Purple e Black Sabbath), o músico volta ao blues, seu território natural.

Serão dois shows, um em São Paulo e outro no Rio de Janeiro. Apesar de retornar menos de um ano após a sua primeira visita, provavelmente mostrará um repertório diferente. Sai a amostragem de toda a sua carreira do show de 2012 para uma concentração maior de músicas do último álbum, “Driving Towards the Daylight”, do começo de 2012, e músicas no formato acústico que não costumavam ser tocadas ao vivo.

“An Acoustic Evening at The Vienna Opera House”, lançado há quatro meses, é o seu mais recente lançamento solo, um CD/DVD gravado ao vivo no ano passado na famosa casa de Viena, capital da Áustria, um dos templos da música erudita europeia. Deverá ser a base das duas apresentações brasileiras. Totalmente acústico, Bonamassa reinventou seus maiores sucessos e alguns dos clássicos do blues. O álbum duplo foi elogiado por publicações especializadas da Europa e dos Estados Unidos. A produção foi de Kevin Shirley, parceiro de longa data que também já trabalhou com Led Zeppelin, Iron Maiden, Rush, entre outros.. Especialmente para o trabalho, a banda teve Mats Wester (nyckelharpa), Gerry O’Connor (violino), Arlan Schierbaum (teclados) e Lenny Castro (percussões), que estarão no Brasil.

O guitarrista Joe Bonamassa, um dos virtuosos do blues rock, desembarca em São Paulo na próxima quinta. Quem vai? http://bit.ly/bonamassasp

Uma rápida passada pela lista de músicas de seus shows de 2013 dá uma pequena amostra do que poderá ser executado. No repertório, “Arrival”, “Athens to Athens”, “Richmond”, “Jockey Full Of Bourbon”, de Tom Waits, “Stones In My Passway”, de Robert Johnson, “Mountain Time” (talvez a sua canção mais emblemática),  “Driving Towards The Daylight” (faixa-título do CD mais recente, e a música do álbum que fez mais sucesso, ao lado de “Dislocated Boy”), e “The Ballad Of John Henry”, um de seus maiores sucessos.

Houve quem especulasse que o guitarrista pudesse trazer a companheira Beth Hart. O segundo CD da dupla, “Seesaw”, chegou às lojas há dois meses e, como o primeiro, “I Don’t Explain”, de 2011, também foi um sucesso imediato, repetindo a certeira fórmula de recriar standards do jazz e do blues com mais sensualidade e passionalidade. Em razão de compromissos assumidos anteriormente, cantora desde o início das negociações descartou a vinda ao Brasil – ela teve uma passagem totalmente incógnita por São Paulo em 2009, apesar de repetir ter amado o país e de querer voltar.

Bonamassa certamente terá de “prestar” contas a alguns roqueiros ansiosos por ouvir algo do pesado Black Country Communion. No ano passado executou a maravilhosa “Songs from Yesterday”, do primeiro álbum da banda (foram quatro ao todo em dois anos corridos, sendo um ao vivo), um dueto com Glenn Hughes, agora um ex-amigo. A música andou sumindo dos shows realizados no final do ano passado e começo deste, mas pode aparecer no bis. Outro clássico do grupo, “Battle of Hadrian’s Wall”, do segundo CD, mais uma grande canção, nunca chegou a ser tocada pelo guitarrista em sua carreira solo, e é outra pedida com insistência pelo público.

Serviço São Paulo

HSBC Brasil – Rua Bragança Paulista, 1.281 – chácara Santo Antonio

Dia 08/08
21h30
Preços
Camarote
Frisas
Cadeira Alta
Setor Vip Premium
Setor Vip
Setor 01
Setor 02
R$ 500,00
R$ 300,00
R$ 200,00
R$ 500,00
R$ 350,00
R$ 320,00
R$ 250,00

 

Tudo o que sabemos sobre:

Joe Bonamassa

Tendências: