UE diz que decisão da justiça russa sobre Pussy Riot é 'desproporcional'

Estadão

17 de agosto de 2012 | 15h36

estadão.com.br

MOSCOU – Protestos e pronunciamentos de autoridades se espalham pelo mundo, após a condenação de dois anos de prisão das três integrantes do grupo punk Pussy Riot, nesta sexta-feira, 17. Elas foram acusadas de vandalismo por terem cantado contra o presidente da Rússia, Vladimir Putin, em uma catedral ortodoxa.

A União Europeia condenou a decisão “desproporcional” da justiça russa de condenar as três jovens da banda punk e pediu revisão da sentença. “Estou muito desapontada com a decisão da justiça russa”, disse a diplomata da UE, Catherine Ashton. “A sentença é desproporcional”, disse.

Ativista ucraniana do grupo feminista Femen corta uma cruz de madeira em protesto à prisão das componentes do grupo Pussy Riot (17/08) Sergey Dolzhenko/Efe

Mais conteúdo sobre:

Pussy Riot