Tristeza e vergonha com o lamentável Metal Open Air

Estadão

21 de abril de 2012 | 22h00

Mais uma opinião importante a respeito dos lamentáveis episódios ocorridos no Metal Open Air. O texto é de Julio Verdi, publicado no ótimo site Whiplash:

Eu não precisaria me manifestar em quaisquer circurstâncias. Mas estou envolvido com o universo Heavy Metal há exatos 30 anos, desde do lindo ano de 1982. E durante essas décadas vivenciei muitas coisas, que me fazem nos dias de hoje me mostrar ainda mais apaixonado por este estilo de MÚSICA. E tudo que o envolve me interessa, me excita e me incomoda. Os recentes acontecimentos do festival “Master Open Air”, em São Luis do Maranhão, me despertaram desejo de ilustrar algumas palavras, pra quem quer que possa ouvi-las.

Nesssas décadas todas estive presente em mais de uma centena de shows internacionais, e com prazer um número similar de bandas brasileiras. E, evidentemente, como muitos amigos de minha geração, continuo prazeirosamente envolvido com o universo Heavy Metal, evidenciando o orgulho do passado e respirando o presente. E tudo que envolve sua evidência. me interessa.

O “Master Open Air” , mesmo que com muitas dúvidas e críticas, prometia ser uma aventura orgulhosa pra qualquer headbanger brasileiro.

Eis que chegou o momento e tudo se transformou numa novela com episódios tristes e inacreditráveis.

Até tal momento, diversas bandas nacionais desistiram de se apresentar. Detalhes estruturais, organizacionais, amadorismo, mostraram pro Brasil e infelizmente pro mundo talvez a maior precaridade já envolvida num evento desta proposta.

Eu ACREDITO no cenário e nas bandas nacionais. Passou da hora de tratar nossas bandas nacionais de maneira PROFISSIONAL e respeitosa, INDEPENDENTE de estilos ou vivência dessas bandas.

ME SINTO envergonhado pelo que li deste festival. Amo o HEAVY METAL brasileiro. E no alto de minha experiência de vida, me sinto mal por este evento não ter tido um mínimo de sucesso. Qual prazer maravihoso saber que tudo foi no mínimo operacional. Que as bandas que tocaram sentissem o amor dos bangers, e ter a credibilidade e a segurança de estar apresentando sua arte numa condição profissional a altura de seus nomes. O Metal mundial lembraria disso pra sempre.

Mas, fico triste pelo acontecido.

Vislumbro que, a partir de agora, bandas brasileiras e as outras, só permitirão que seu logos sejam estampados em supostas peças de marketing de shows, quando estiverem com contratos assinados e devidos seguros financeiros assegurados.

Essa vergonha, nós que vivenciamos o mundo Heavy Metal, carregaremos pra sempre. Mas talvez sirva, pra que próximos eventos dessa magnitude sejam organizados com mais VISÃO EMPREENDEDORA. Eu sei que nosso estilo musical é um dos maiores do mundo. Resta provar pro resto do mundo que aqui, somos capazes de tratá-lo com a grandiosidade que ele faz juz.

Alguns dias de festival ainda estão preparados por vir. Afinal hoje é madrugada de sexta pra sábado. E desejo sinceramente, que, no mínimo, o programa se cumpra. E que nossos amados bangers que estão presentes no evento, se preservem fisica e pisicologicamente bem, e que possam consumir shows (os que sobraram) de maneira prazeirosa.

Nossas bandas são tão importantes e poderosas como qualquer outra do planeta. Que os próximos eventos também o sejam.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Metal Open Air

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.