'The Brothers Winter', o abismo entre Edgar e Johnny

Estadão

05 de janeiro de 2011 | 16h29

Julio Maria

Quando todas as paredes pareciam derrubadas por quem fazia blues nos EUA até os anos 1950 – cegos, brancos, mulheres, índios, todos eram bem-vindos – eis que os negrões testemunham o nascimento de dois irmãos albinos loucos por escalas pentatônicas. 

Edgard e Johnny Winter eram os ‘fantasmas’, algo inexplicável para os bluesmen da época que se perguntavam como poderia sair tanto vigor daqueles caras-pálidas. Os Winters cresceram e tomaram rumos diferentes. Edgar foi para o sax, Johnny cedeu à guitarra. Edgar ficou pop, Johnny ficou blues. O CD duplo “The Brothers Winter”, lançado agora pela ST2 no Brasil, mostra o tamanho do abismo entre os irmãos.

 

Edgard, no CD1, faz pop, rock, soul, funk, com propriedade e cheio de reverências ao gênero que ouvia em casa com o irmão, sem nunca assumi-lo com clareza. Canta mais que Johnny, mas toca menos.

 Johnny, dono do CD2, é um tornado. Sola de forma incansável com frases que não se repetem nunca, como se tirasse coelhos diferentes da cartola a cada compasso. Johnny B. Goode e Jumping Jack Flash estão lá. Esforçado e competente, Edgar não tem o brilho que faz de Johnny aqueles seres únicos capazes de tirar o fôlego.

CD1 – Edgar Winter

1.Hoochie Coo
2.The Real Deal
3.We Can Win
4.Good Ol’ Rock`N Roll
5.Give Me The Will
6.Nitty Gritty
7.Eye Of The Storm
8.Sanctuary
9.Hot, Passionate Love
10.The Music Is You
11.What Do I Tell My Heart

CD2 – Johnny Winter

1.Instrumental
2.Should Have Quit Ya Baby
3.E.Z Rider
4.Catfish Blues
5.One Step At A Time
6.Johnny B Goode
7.Stranger
8.Highway 61 Revisited
9.She Moves Me Man
10.Jumpin Jack Flash
11.It’s All Over Now
12.Crawl

Tudo o que sabemos sobre:

Edgar WinterJohnny Winter

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: