Suicidal Tendencies, fúria punk na São João

Estadão

07 de maio de 2012 | 17h30

Jotabê Medeiros

A primeira rebelião da Virada Cultural 2012 começou logo nas primeiras horas da manhã deste domingo, na Avenida São João, a bordo da máquina de barulho do grupo norte-americano Suicidal Tendencies. Ao entrar no palco, às 9h30, aos primeiros acordes de You Can’t Bring me Down, o Suicidal Tendencies deflagrou uma espécie de senha. O público derrubou as grades de proteção, invadiu a área de imprensa, derrubou o fosso VIP e começou a escalar o palco.

Os músicos da banda continuaram tocando, como se nada estivesse acontecendo, e até filmavam a insurreição punk que deflagravam. Um garoto foi para no Pronto Socorro com um corte no supercílio. Muitos escalavam as torres de aço do palco e postes e árvores da avenida. Um mosh gigantesco afugentava até a brigada de segurança que tentava conter o tumulto – um verdadeiro tumulto de rock’n’roll, como há muito não se via. Músicas como War Inside My Head, Freedumb e We Are Family deixaram o público em estado de insanidade total.

O veterano grupo de hardcore norte-americano Suicidal Tendencies faz a turnê Year of the Cyco, que marca os 30 anos de existência da banda, formada na Califórnia em 1981. O vocalista Mike Muir incentivava a tomada de posição do público, lembrando que durante anos foram todos pisoteados pelo sistema e agora era chegada a hora de dar o troco. Em forma de fúria hardcore, o melhor momento da Virada até agora.

Tudo o que sabemos sobre:

Suicidal TendenciesVirada Cultural

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.