Steve Morse descobre nova cantora e grava CD acústico

Estadão

20 de setembro de 2010 | 17h50

Marcelo Moreira

Um pai zeloso e coruja resolve assediar um amigo guitarrista famoso que toca uma banda de rock mais famosa ainda. Estão em uma festa informal, só amigos de longa data presentes. O pai já está meio bêbado, mas enche a paciência do guitarrista: quer porque quer que ele ouça sua filha de 16 anos cantar.  

Para evitar mais constrangimentos, Steve Morse, guitarrista do Deep Purple, do Dixie Dregs e da Steve Morse Band, aceita marcar um dia para conhecer a “joia”. O pai, amigo de longa data, faz o guitarrista prometer que irá vê-la dois dias depois em sua casa. Morse diz que sim e logo vai buscar mais uma cerveja.

angelfirecover

Dois dias depois, o pai zeoloso, já sóbrio, acordou o guitarrista para “lembrá-lo” que tenha marcado de ver a filha dele cantar dali a uma hora. É claro que Morse tinha esquecido. Para evitar a desfeita, foi até a casa do amigo chato, que ficava a 20 minutos de distância. Esperava se livrar rapidamente do compromisso ao ver a menina cantar duas músicas e só. O resultado da visita: o CD “Angelfire”, da dupla Steve Morse e Sarah Spencer, gravado entre dezembro de 2009e janeiro de 2010.

Essa foi a forma resumida e bem humorada que o guitarrista narrou o seu encontro com a adolescente que o fez parar com tudo e gravar de forma rápida o CD. 

“É um trabalho acústico que escrevi com Sarahm uma jovem surpreendente e bastante antenada. É totalmente diferente de tudo o que já fiz. O pai dela me conhece e me disse: ‘Você tem que ouvir minha filha’. Eu escutei-a, e ela era realmente muito boa. Então eu escutei mais algumas coisas, e eu disse para trazerem-na e iríamos ver se nós podíamos compor algo juntos. Nós conseguimos, e essa primeira leva simplesmente deu certo”, afirmou o guitarrista ao site Blabbermouth.net. Van Romaine na bateria e Dave La Rue no baixo, a cozinha da Steve Morse Band, serviu de apoio à dupla.

Para quem conhece o trabalho de Morse em todas as suas banda será um choque. Lembra, de leve, o trabalho instrumental de Steve Howe, guitarrista do Yes. As composições, quase todas na linha folk-blues, são de excelente qualidade e a menina Sarah Spencer surpreende pelo timbre leve, cristalino e bem colocado.

angelfire2

A tendência é que a dupla continue gravando e compondo nas pausas do Deep Purple. “Gostei do resultado, saiu muito diferente – e muito bom – do que eu imaginava. A menina vai dar trabalho”, disse o guitarrista a uma rádio de Los Angeles. Para ouvir trechos do trabalho, acesse www.angelfiremusic.com. O CD já foi lançado em junho nos dos Estados Unidos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.