Senado aprova regulamentação da profissão de DJ

Estadão

11 de dezembro de 2011 | 22h56

Estadão.com.br

A Comissão de Assuntos Sociais do Senado (CAS) aprovou no último dia 7, em decisão terminativa, o projeto de lei do ex-senador Sérgio Zambiasi (PTB-RS) que regulamenta a profissão dos DJs e dos “disc-jockeys”. Chamados no texto, respectivamente, de “profissional de cabine” e de “produtor DJ”, as atividades passarão a constar da lei nº 6.533, de 1978, que trata da regulamentação das profissões de artistas e de técnicos em espetáculos e diversões.

O texto cria uma reserva de mercado, ao tornar obrigatória a participação de, pelo menos, 70% de profissionais brasileiros nos eventos promovidos no País com atrações estrangeiras. Uma emenda do relator, senador Paulo Paim (PT-RS), exige os que quiserem exercer a atividade a ter diploma ou certificado correspondente às habilitações profissionais de 2º grau de ator, contrarregra, cenotécnico, sonoplasta, disc-jockey ou outros semelhantes, reconhecidos em lei.

Como a aprovação foi terminativa, o texto será encaminhado à Câmara dos Deputados, sem a necessidade de ser votado no plenário do Senado. Para exercer as atividades, será necessário obter o registro na superintendência regional do Trabalho e Emprego, que terá validade em todo o País. Os profissionais exercerão jornada de trabalho de seis horas diárias ou 30 semanais.

Profissionais exercerão jornada de trabalho de 6 horas diárias
Profissionais exercerão jornada de trabalho de 6 horas diárias – Divulgação

A proposta determina, ainda, que  a cláusula de exclusividade não impedirá o artista, o técnico em espetáculos de diversões, o DJ e o disc-jockey de prestar serviço em atividade diversa ajustada no contrato de trabalho. “Desde que em outro lugar e sem que se caracterize prejuízo para o contratante com o qual foi assinada a cláusula de exclusividade”, especifica ainda o projeto.

Tudo o que sabemos sobre:

DJ

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.