Saints of Valory são os autênticos meninos do Rio

Estadão

07 Setembro 2013 | 16h00

Jotabê Medeiros – O Estado de S. Paulo
Saints of Valory estará no Palco Sunset - Divulgação
Divulgação -Saints of Valory estará no Palco Sunset

Eles são a típica banda indie emergente: já abriram shows de Muse, Foo Fighters, Foster the People. Seu primeiro single, Neon Eyes, lançado em julho, entrou direto no Top 50 das paradas de rádio dos Estados Unidos. Por conta do zunzunzum, a gigante Atlantic Records (no Brasil, Warner) correu atrás deles em sua cidade, Austin, Texas, com um contrato nas mãos para gravarem o primeiro disco.

Só tem um detalhe: Saints of Valory também são legítimos Meninos do Rio. Filho de um agente de turismo e produtor norte-americano, o vocalista e baixista do grupo, Gavin Jasper, nasceu no Rio de Janeiro, onde viveu em dois períodos da sua vida. O guitarrista, Godfrey Thomson, também morou no Rio de Janeiro, assim como Stephen Buckle, tecladista, que viveu 4 anos aqui no País – completa o time o baterista Gerard Labou, de origem francesa.

Eles tocam no Rock in Rio no dia 14 – nunca o nome Rock in Rio fez tanto sentido. “É uma situação incrível. É nosso primeiro show no exterior, e será justamente no Brasil”, festejou ontem, falando ao Estado por telefone, o cantor Gavin Jasper. “E num festival tão lendário, em que bandas tão míticas tocaram. Será ótimo reencontrar meus amigos, minha família”, diz Jasper, que cresceu na Prainha, em Vargem Grande. Saiu do Brasil quando tinha 14 anos e hoje tem 31. A avó de Gavin mora em Ipanema, para onde ele pretende ir após o show e ficar uma semana com os parceiros.

“Meus pais moravam em Campinas, mas eu nasci no Rio porque estavam viajando. Eles passam a maior parte do tempo viajando”, conta Jasper, que já ouviu muito de Los Hermanos a Detonautas. Ele voltou ao Brasil há alguns anos de novo, e chegou a gravar bossa nova com Roberto Menescal. Sempre soube que viveria de música. Quando encontrou os parceiros certos nos Estados Unidos, montou a banda.

Em 2012, eles participaram do concurso Battle of Bands, da Billboard, e ficaram entre as 6 melhores bandas novas dos Estados Unidos. “Não tinha TV, e para a gente era algo mais do que ganhar”, afirma o cantor.

Austin, no Texas, facilitou tudo pra eles. Já tocaram 9 vezes no festival South by Southwest. “É muito forte a cena musical na cidade, tem muitos locais para tocar. É tipo uma meca para novos grupos. Eles têm uma cultura de ouvir coisas novas, está no sangue, enquanto no Brasil, eu notei, a maioria das cidades só quer ouvir bandas covers. São Paulo é diferente, mas em geral é assim. Aqui em Austin tudo é mais fácil.”

Ainda assim, quando o grupo achou que estava pronto, adivinhe para onde veio? “A gente queria gravar umas músicas e decidimos o melhor lugar: fomos ao Brasil. Ficamos três meses indo para a praia, comendo churrasco e compondo.”

O resultado é o primeiro EP da banda, Possibilities, que acaba de ser lançado, com produção de Joe Chiccarelli (que produziu discos de Frank Zappa, Strokes, Alanis, entre outros). Curioso é que a sonoridade mais evidente não tem nada a ver com o Brasil, mas com a Irlanda: é puro U2.

“Acho que são várias influências, por conta da experiência dos integrantes em vários continentes. Mas, quando estamos juntos, esse gosto de U2 sai naturalmente. Mais do que influência, é o fascínio que eles têm de espalhar o poder da música. Quando tocam, as pessoas se levantam, vibram, e quando saem do show saem se sentindo bem. Isso é o que buscamos.”

O EP Possibilities será lançado no Brasil pelo iTunes na segunda-feira. Gavin Jasper gosta do ritmo que vai levando a carreira. “É uma época de descobrimento, uma das melhores fases de uma banda. É quando ela ganha credibilidade entre os seus reais fãs, que descobrem o grupo sozinhos. Isso é muito importante”, diz ainda.

Saints of Valory, o nome do grupo, é uma homenagem a Valerie, mãe do baterista, Gerard Labou. “Quando a gente estava procurando um nome, queríamos algo que fosse completamente original, mas que tivesse também um toque pessoal. Jogamos várias ideias e no final ficamos com esse nome. Permite muitas leituras, atiça a imaginação. Para alguns, é um lugar; para outros, uma pessoa. Também pode ser algo próximo disso que você disse, Santos Valorosos.”

O grupo estava em turnê há alguns dias abrindo shows de outra atração do Rock in Rio, Grace Potter and the Nocturnals.

Mais conteúdo sobre:

Saints of Victory