Rolling Stones: 50 anos discutindo a relação

Estadão

24 Julho 2012 | 17h00

Carlos Eduardo Entini 

Em 12 de julho de 1962, os Rolling Stones debutavam com um show no clube Marquee, em Londres. Naquele dia não passava pela cabeça de ninguém que uma banda duraria tanto tempo. Nem dos próprios integrantes, “eu não esperava durar até os cinquenta anos, muito menos nos Stones” declarou, com uma pitada de ironia, o guitarrista Keith Richards.


Dos integrantes atuais na foto, apenas Mick Jagger e Kate Richard
se apresentaram no Marquee, há 50 anos. Foto: Reprodução

O casamento completou bodas de ouro e os Rolling Stones continuam na estrada. Mas essa relação já teve vários fins anunciados e não consumados. Ora por boatos, ora por desgaste na relação. Principalmente entre a de Keith Richards com Mick Jagger, donos e principal casal da banda. Vários das separações e crises foram noticiadas nas páginas do ‘Estado’.
Uma das mais interessantes foi a fusão entre os Beatles com os Rolling Stones na década de 1960.

O Estado de S. Paulo – 24/10/1967

A publicidade não deixou de lado a oportunidade de faturar com os boatos sobre a separação. Quem comprou o whisky do anúncio na esperança de tomá-lo no dia em que os Stones se separassem, ainda deve estar com a garrafa intacta.

O Estado de S. Paulo – 18/5/1971

 

Em 1983, Mick Jagger foi enfático ao anunciar o fim da banda em declaração a um jornal inglês, “o grupo irá separar-se, isso não pode ficar como se fosse uma velha comédia. Seria ridículo”. Não foi dessa vez.


O Estado de S. Paulo – 26/1/1983

 

 

 

Três anos depois outra crise, que anunciava o fim.
O Estado de S.Paulo – 7/6/1986
 As brigas entre Mick Jagger em Keith Richard ameaçaram a banda em 1987.
O Estado de S. Paulo – 25/4/1987
O lançamento do segundo disco solo de Mick Jagger também foi alvo de especulação do fim dos Stones.

O Estado de S.Paulo – 12/9/1987

 

 

 

Mais conteúdo sobre:

Rolling Stones