Rock in Rio volta ao Brasil em 2011

Estadão

17 de agosto de 2010 | 16h20

Roberto Capisano Filho

Após dez anos, o Rock in Rio voltará a ser realizado. Adivinhe onde? No Rio de Janeiro! Não parece óbvio? Sim, é óbvio, mas suas últimas edições tiveram sede em Madri e Lisboa. Em 2011 ele volta a ser carioca.

O festival, ou melhor, seu nome havia se transformado em uma marca e o evento foi parar na Europa. O próprio organizador, Roberto Medina, reconhece que era estranho o festival ter o nome que tem e ocorrer em outra cidade que não o Rio. Ele disse isso ontem, dia 16,  ao anunciar a nova edição. Afinal, se é em Lisboa deveria ser Rock in Lisboa; em Madri, Rock in Madri, ou seja, ser batizado de acordo com a cidade em que é realizado.

Mas levar as coisas ao pé da letra não é uma marca do Rock in Rio. Em 1985, a primeira edição colocou no palco artistas que de rock não tinham nada. Ou Al Jarreau, Elba Ramalho, Ivan Lins e Morais Moreira têm alguma coisa a ver com rock and roll? Eles estiveram na primeira edição, em 1985. 

E Jimmy Cliff, New Kids on the Block, Run DMC, George Michael, Dee Lite? Eles estiveram na edição de 1991.

Em 2001, foram Daniela Mercury, Milton Nascimento, Carlinhos Brown, Sandy e Junior que marcaram presença no festival. Esses são só alguns exemplos de peixes fora d’água que estiveram nas edições brazucas.

A questão é que um festival que tem rock no nome deveria ter bandas de rock, não cantores de MPB, artistas que fazem um pop deslavado, sem falar de outros gêneros.

Tudo bem, é só um nome. Poderia se chamar Music in Rio e estaria tudo certo. Melhor ter um festival assim do que nenhum festival. Ainda bem que o Rock in Rio existe. Foi nele que pudemos ver pela primeira vez em nosso País bandas como Iron Maiden, AC/DC, Scorpions, Whitesnake, além de Ozzy Osbourne.

Só espero que a organização não misture as bolas de novo. Em 1985, Eduardo Dusek e Ney Matogrosso foram rejeitados pelo público em seus shows. Eles se apresentaram no mesmo dia que Iron Maiden, Whitesnake, AC/DC e Scorpions. Eu estava lá, eu vi. A platéia vaiou sem dó esse pessoal.

Quando Lobão subiu ao palco em 1991, no mesmo dia em que tocaram Judas Priest, Sepultura e Queensrÿche, abandonou o show no meio depois de uma chuva de garrafas plásticas e outros objetos jogados nele (eu também estava lá). Carlinhos Brown, em 2001, recebeu o mesmo tratamento em um dia em que o Guns N’ Roses também tocou (eu não estava lá, mas vi pela televisão).

O problema é misturar as tribos.   

Espero que em 2011, a organização não cometa os mesmos erros. Mas a julgar pelos artistas já confirmados, a coisa deve tornar a ocorrer. Ivete Sangalo, Marcelo D2, NXZero e Jota Quest estão na lista. Medina já avisou: sonha com Iron Maiden e Guns N’ Roses no ano que vem…

O Rock in Rio 2011 será realizado em 23, 24, 25 e 30 de setembro e 1º e 2 de outubro. Pelo site www.rockinrio.com.br você poderá votar na banda que quer ver no festival. Faça seu pedido.

@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@

Aproveite e ouça o programa-podcast Combate Rock nº 1, produzido pela equipe do blog Combate Rock, que analisa e critica os shows internacionais que ainda ocorrem este ano.

Parte1 by mmoreirasp

Parte2 by mmoreirasp

Parte3 by mmoreirasp

Parte4 by mmoreirasp

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.