Rock in Rio volta ao Brasil em 2011

Estadão

17 de agosto de 2010 | 16h20

Roberto Capisano Filho

Após dez anos, o Rock in Rio voltará a ser realizado. Adivinhe onde? No Rio de Janeiro! Não parece óbvio? Sim, é óbvio, mas suas últimas edições tiveram sede em Madri e Lisboa. Em 2011 ele volta a ser carioca.

O festival, ou melhor, seu nome havia se transformado em uma marca e o evento foi parar na Europa. O próprio organizador, Roberto Medina, reconhece que era estranho o festival ter o nome que tem e ocorrer em outra cidade que não o Rio. Ele disse isso ontem, dia 16,  ao anunciar a nova edição. Afinal, se é em Lisboa deveria ser Rock in Lisboa; em Madri, Rock in Madri, ou seja, ser batizado de acordo com a cidade em que é realizado.

Mas levar as coisas ao pé da letra não é uma marca do Rock in Rio. Em 1985, a primeira edição colocou no palco artistas que de rock não tinham nada. Ou Al Jarreau, Elba Ramalho, Ivan Lins e Morais Moreira têm alguma coisa a ver com rock and roll? Eles estiveram na primeira edição, em 1985. 

E Jimmy Cliff, New Kids on the Block, Run DMC, George Michael, Dee Lite? Eles estiveram na edição de 1991.

Em 2001, foram Daniela Mercury, Milton Nascimento, Carlinhos Brown, Sandy e Junior que marcaram presença no festival. Esses são só alguns exemplos de peixes fora d’água que estiveram nas edições brazucas.

A questão é que um festival que tem rock no nome deveria ter bandas de rock, não cantores de MPB, artistas que fazem um pop deslavado, sem falar de outros gêneros.

Tudo bem, é só um nome. Poderia se chamar Music in Rio e estaria tudo certo. Melhor ter um festival assim do que nenhum festival. Ainda bem que o Rock in Rio existe. Foi nele que pudemos ver pela primeira vez em nosso País bandas como Iron Maiden, AC/DC, Scorpions, Whitesnake, além de Ozzy Osbourne.

Só espero que a organização não misture as bolas de novo. Em 1985, Eduardo Dusek e Ney Matogrosso foram rejeitados pelo público em seus shows. Eles se apresentaram no mesmo dia que Iron Maiden, Whitesnake, AC/DC e Scorpions. Eu estava lá, eu vi. A platéia vaiou sem dó esse pessoal.

Quando Lobão subiu ao palco em 1991, no mesmo dia em que tocaram Judas Priest, Sepultura e Queensrÿche, abandonou o show no meio depois de uma chuva de garrafas plásticas e outros objetos jogados nele (eu também estava lá). Carlinhos Brown, em 2001, recebeu o mesmo tratamento em um dia em que o Guns N’ Roses também tocou (eu não estava lá, mas vi pela televisão).

O problema é misturar as tribos.   

Espero que em 2011, a organização não cometa os mesmos erros. Mas a julgar pelos artistas já confirmados, a coisa deve tornar a ocorrer. Ivete Sangalo, Marcelo D2, NXZero e Jota Quest estão na lista. Medina já avisou: sonha com Iron Maiden e Guns N’ Roses no ano que vem…

O Rock in Rio 2011 será realizado em 23, 24, 25 e 30 de setembro e 1º e 2 de outubro. Pelo site www.rockinrio.com.br você poderá votar na banda que quer ver no festival. Faça seu pedido.

@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@

Aproveite e ouça o programa-podcast Combate Rock nº 1, produzido pela equipe do blog Combate Rock, que analisa e critica os shows internacionais que ainda ocorrem este ano.

Parte1 by mmoreirasp

Parte2 by mmoreirasp

Parte3 by mmoreirasp

Parte4 by mmoreirasp

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: