Rock in Rio só vale a pena na segunda semana

Estadão

12 Setembro 2013 | 21h30

Marcelo Moreira

Ainda tem gente procurando por rock no grande festival Pop in Rio 2013. Os mais exigentes vão ignorar os primeiros três dias e guardar energia (e dinheiro) para a próxima semana. Já os corajosos terão de aguentar muita coisa ruim e deslocada se realmente decidirem participar nos dias 13, 14 e 15 de setembro. Haverá coisa boa, mas em quantidade muito pequena, ao menos para os padrões roqueiros.

A marca Rock in Rio continua poderosa, embora um pouco desbotada com a interferência indevida as Beyoncés da vida. Mas é óbvio que se trata de um grande evento, o maior do gênero na América do Sul. Ainda que haja mistura de estilos anacrônicos e exóticos, trata-se de uma oportunidade única para a celebração da música e da convivência pacífica. pena que tenha rock de menos.

Nos próximos três dias, a grande atração será o quarteto Living Colour, de hard rock, um dos grandes nomes do rock do final dos anos 80. Está relegado ao palco Sunset no dia 13, e receberá como convidada a cantora Angelique Kidjo. O show fecha o palco, por volta das 22h. Neste dia, onde Ivete Sangalo (????) abrirá para Beyoncé (??????), nada há mais para ser visto. Esqueça a área da música eletrônica nos três dias. Pura perda de tempo. Como curiosidade, Evandro Mesquita (Blitz) toca na Rock Street com a Fabulous Tab.

No dia seguinte, melhora um pouquinho em termos de quantidade. O palco Mundo terá o bom trio Muse, com rock intenso e quase progressivo, o fraco 30 Seconds to Mars, liderado pelo ator de Hollywood Jared Leto (guitarra e vocais) e o Capital Inicial abrindo o dia – e que, provavelmente, acabará sendo a atração mais interessante para quem gosta de rock mais festeiro. Florence + The Machine destoa neste palco. No palco Sunset, a atração é o sempre interessante The Offspring, que retorna com tudo aos bons dias de sua carreira, com a abertura do assíduo frequentador do Brasil Marky Ramone – que receberá como convidado Michale Graves (Misfits).

A mistureba dá o tom no dia 15, domingo. Jota Quest é o nome mais rock do palco Mundo, que terá ainda os intragáveis e inacreditáveis Justin Timberlake e Alicia Keys. No Sunset, a banda de Nando Reis recebe Samuel Rosa (Skank), enquanto que o jazzista George Benson faz um dueto interessante com Ivan Lins. Tudo muito pop, tudo com pouco rock, mas é uma alternativa para os mais ecléticos.

O melhor mesmo fica para a semana que vem. Peso é o que não vai faltar com Metallica, Slayer, Iron Maiden, Bon Jovi, Alice in Chains, Bruce Springsteen, Sepultura, Rob Zombie, Ben Harper recebendo Charlie Musselwhite, Frejat, Almah, Hibria. Helloween, Krisiun, Destruction e outras atrações roqueiras dignas do nome.

Descaracterizado, o festival perde força e qualidade em sua primeira semana, para ganhar um fôlego na segunda parte. Mais uma vez o rock pesado será a salvação. Clique aqui e confira todas as atrações e os horários previstos para os shows.