Ringo Starr é tema de exposição no Museu do Grammy

Estadão

19 de junho de 2013 | 21h52

Reuters

Ringo Starr, ex-baterista dos Beatles, revela flagrantes da sua atividade artística em uma nova exposição, intitulada Ringo: Peace & Love (Ringo: Paz e Amor), que começou na terça-feira, 11, no Museu do Grammy, em Los Angeles.

 Ringo Starr - Ueslei Marcelino/ Reuters

Ueslei Marcelino/ Reuters
Ringo Starr

 

O músico, de 72 anos, estava presente na abertura da mostra, que lança um olhar aprofundado para a sua carreira.

Entre as peças apresentadas estão a bateria Ludwig que Ringo usou nas apresentações dos Beatles no programa The Ed Sullivan Show, e o traje que vestiu na época do disco Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band (1966/67).

Ringo guiou a Reuters numa visita à exposição, que fica em cartaz até março.

Um marco na carreira dele, também retratado na exposição, é o show de agosto de 1965 no estádio Shea, em Nova York, com a presença de 55,6 mil espectadores.

“Depois do Shea, e o Shea foi a maior audiência, foi a primeira vez que alguém tocou num estádio, e ficamos, tipo, ‘uau'”, disse ele.

“As pessoas ficavam falando sobre gente gritando, mas era assim mesmo. Nós nos levantávamos, as pessoas gritavam, terminávamos e elas iam para casa.”

Quase 50 anos depois da chegada dos Beatles aos EUA, Ringo disse que continua atarefado, trabalhando atualmente na adaptação da canção Octopus’s Garden, dos Beatles, como livro infantil.

Ele também está lançando nesta quarta-feira, 12, um e-book chamado Photograph, exclusivamente na loja iBookstore, da Apple. A obra revela um inédito acervo particular de fotos do quarteto.

Tudo o que sabemos sobre:

BeatlesRingo Starr

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.