Revigorado, Joe Cocker volta com disco de inéditas

Estadão

14 de junho de 2011 | 17h15

Emanuel Bomfim

Vítima da própria reputação de imortalizar músicas de outros artistas, o veterano e habilidoso cantor volta à cena apostando em repertório original, sem clássicos e sem Beatles por perto.  O incômodo com os covers pouco deveria afetar a sólida carreira do britânico de voz rouca.  Mesmo assim, ele faz questão de provar seu valor artístico em Hard Knocks.  Como se precisasse…  

O peso de sua interpretação continua a fazer a diferença, elevando cada tema, dos mais simples aos mais endiabrados, para um clima de celebração.  Joe Cocker  tem uma incrível capacidade de transformar melodias triviais em hinos.  Para chegar a este pop brilhante, ele incorpora o espírito soul.  

“Eu tenho marcas e hematomas para provar isso”, canta na faixa-título, um blues soul arrasa-quarteirão.  O clima funky se amplia em Get On, como se tivesse saído de algum disco do Prince.  Nas baladas, porém, muitas vezes falta emoção e sobra tédio, talvez pelo desgaste da própria fórmula.  Mas nada que tire a autoridade de um ícone da música disposto a fugir das próprias armadilhas

Tudo o que sabemos sobre:

Joe Cocker

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.