Republica esbanja fôlego e qualidade em novo álbum

Estadão

03 de outubro de 2013 | 07h08

Marcelo Moreira

Tem novidade interessante na praça. Depois de uma bem-sucedida aparição no Rock in Rio 2013, o quinteto paulistano Republica está prestes a colocar nas lojas o seu novo álbum, pesadíssimo e moderno. “Point of No Return” recoloca a banda no trilho dos grandes nomes do metal nacional, em uma trajetória acidentada de 22 anos e apenas três álbuns lançados.

Em uma concorrida audição realizada em um estúdio novíssimo na zona oeste de São Paulo, o quinteto mostrou o novo trabalho com dez músicas e sonoridade muito próxima do que as bandas norte-americanas do gênero estão realizando hoje, com ênfase nas guitarras e excelente trabalho na bateria. é o primeiro resultado da parceria com o combo multimídia Wikimetal, que virou gravadora recentemente. A Wikimetal Music vai distribuir “Point of No Return”, assim como já faz com “Diante do Inferno”, do Sioux 66.

Paciência foi a palavra-chave no desenvolvimento do trabalho. Tudo foi pesquisado à exaustão, desde o timbre da guitarras até a colocação dos microfones no estúdio para capturar o som “porrada” da bateria. Os músicos não são novatos, apesar dos poucos lançamentos em mais de 20 anos de carreira.

O convite para o Rock in Rio, mesmo para tocar rapidamente e dividindo o palco com Dr. Sin, coroa a melhor fase da banda. O Lollapalloza paulista deste ano já tinha servido de aperitivo para o grande ato que seria o show nos palcos cariocas. Vitória da persistência e da paciência. “Sempre deixamos claro que buscávamos consistência e qualidade em nosso material. energia é fundamental para uma boa banda de rock, só que a busca pelo diferente e pela qualidade tem de ser permanente e um dos objetivos principais”, disse o vocalista Leo Belling durante a audição de apresentação do novo álbum.

“Point of No Return” realmente é um trabalho der boa qualidade, já despontando entre os melhores das bandas nacionais em 2013. Muito bem produzido, é quase uma coletânea, com várias músicas podendo virar single imediatamente, como a pesada “Time to Pay”, a veloz “Dark Road” e as climáticas “Lige Goes On” e “Change My Way”.

Um destaque do álbum é a participação do guitarrista e produtor norte-americano Roy Z na faixa “Goodbye Asshole”, e que acompanhou a banda no show do Rock in Rio. Roy Z tocou com Bruce Dickinson e teve relativo sucesso com a banda Tribe of Gypsyes.

Com o suporte da Wikimetal Music, é hora de a banda engrenar uma sequência de shows e mais festivais para se manter no primeiro time do metal nacional. O anterior, de 2008, chamado “There’s No Fuckin’ Electronic Modern Loop”, tinha potencial, mas não emplacou como deveria. “Point of No Return”, um mergulho profundo no heavy metal, provavelmente vai consertar essa situação.

Tudo o que sabemos sobre:

República

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: