Rápido panorama de lançamentos pouco divulgados

Estadão

25 de março de 2011 | 08h31

Marcelo Moreira

Os downloads ilegais estão correndo soltos pela internet – e destruindo ou encerrando carreiras importantes ou promissoras –, mas ainda assim o volume de lançamentos neste primeiro trimestre foi grande. Vamos dar uma rápida passagem em alguns de artistas importantes ou de trabalhos que merecem algum destaque por sua qualidade:

Green Day – “Avesome as Fuck” – O novo álbum ao vivo do Green Day é privilegia faixas dos mais recentes trabalhos do grupo, como “American Idiot” e “21st Century Breakdown”, mas não sucessos antigos, como “When I Come Around”, “She” e “Good Riddance”. Não traz grandes novidades, mas impressiona como o trio está em forma à beira dos 40 anos e fazendo um tipo de som que está fora de moda.

Joe Bonamassa – “Dust Bowl” – O nome mais forte do blues-rock da atualidade e o guitarrista que desbancou os ex-prodígios Derek Trucks, Kenny Wayne Shepherd e Jonny Lang é uma usina de composições. No passado lançou o excelente “Black Rock”, saiu em turnê e ainda encontrou tempo para gravar com o Black Country Communion, supergrupo do qual faz parte. Neste ano já colocou no mercado um disco solo ainda melhor e prepara o lançamento do segundo álbum do Black Country para junho. “Dust Bowl” é uma pedrada. A mistura de timbres e sonoridades o levam a uma mescla bem dosada de Eric Clapton, Stevie Ray Vaughan, Frank Marino e Pat Travers. Um dos candidatos a melhor álbum do ano.

Cavalera Conspiracy – “Blunt Force Trauma” – Até que não demorou muito. Os irmãos Max e Iggor Cavalera descarregam uma tonelada de acordes pesados e distorção neste segundo álbum. “inflikted”, o anterior, é muito bom, mas este está ainda melhor, mais coeso e mais maduro. “Blunt Force Trauma” foi gravado em apenas três dias, não por causa de falta de tempo, mas porque o grupo quis fazer dessa forma, assim, como fizeram com o anterior. Assim como o disco de estreia, “Inflikted”, a produção ficou a cargo de Max Cavalera e Logan Mader.

Mustach – “The New Sound of the True Best” – Outra pancada, desta vez no segmento stoner metal. Pesado e barulhento, os suecos do Mustasch não economizam na adrenalina. Seguidores fiéis de Motorhead, Pantera e AC/DC, fazem a trilha ideal de uma boa festança. Rock pesado sem frescuras. Este trabalho não é uma simples coletânea que resume 13 anos de carreira, já que há faixas regravadas e outras remixadas.

Artillery – “My Blood” – O veteraníssimo grupo dinamarquês é bissexto, mas quando resolce gravar, não deixa nada intacto. Thrash metal de qualidade, tem os pés fincado no estilo alemão, mas bebeu bastante na fonte de Exodus, Testament e Death Angel. Barulho bom, indicado para tremer as paredes de vizinhos chatos.

Tank – “War Machine” – Mais um veteraníssimo, desta vez da New Wave of British Heavy Metal. O Tank é contemporâneo de Iron Maiden, Saxon, Def Leppard, Demon, Angel Witch, Witchfynde General e Tygers of Pan Tang, mas, como tantas outras bandas, não vingou. Após quase duas décadas de separação, alguns integrantes da formação original se reuniram no final dos anos 90 e seguem tentando sobreviver. Qualidade para isso não falta, pois “War Machine” é excelente – pesado, climático e técnico. Ajuda muito o fato de o vocalista agora ser o escocês Doogie White (ex-Rainbow e Yngwie Malmsteen).

Pushking – “The World As We Love It” – Eles são o Chelsea do rock russo. A banda de hard rock é russa e tem quase 20 anos de carreira, mas resolveu buscar patrocínio e “contratar” os craques do mercado. O resultado é irregular, mas esse lançamento, que chega ao Brasil em abril pela Hellion, merece ser mencionado pela “seleção” montada pela banda: Billy Gibbons (vocalista e guitarrista do ZZ Top), Nuno Bettencourt (guitarrista do Extreme), o lendário Alice Cooper e seu guitarrista Keri Kelli, John Lawton (vocalista, ex -Lucifer´s Friend e Uriah Heep), Steve Stevens (guitarrista da banda de Billy Idol), Paul Stanley (vocalista, guitarrista e um dos donos do Kiss ao lado de Gene Simmons), Steve Vai, Stevie Salas (guitarrista com passagem pelas bandas de George Clinton, Rod Stewart, Mick Jagger e inúmeros outros artistas), Graham Bonnet (vocalista, ex-Rainbow e Alcatrazz), Glenn Hughes (vocalista e baixista, ex-Trapeze, Deep Purple e Black Sabbath, atualmente no Black Country Communion), Joe Bonamassa (guitarrista, também do Black Country Communion), Jeff Scott Soto (vocalista, ex-Talisman, Journey, Malmsteen e dezenas de outros grupos), Matt Filippini (guitarrista do Moonstone), Eric Martin (vocalista do Mr Big), Udo Dirkschneider (vocalista, ex-Accept), Dan McCafferty (vocalista do Nazareth), Joe Lynn Turner (vocal, ex-Rainbow e Deep Purple) e Jorn Lande (vocalista da banda Jorn e do Masterplan).

Within Temptation – “The Unforgiving” – A banda holandesa de gohtic metal mudou um pouco seu direcionamento musical. As músicas estão mais pesadas e rápidas, e em alguns momentos a ótima vocalista Sharon Den Adel surge mais agressiva do que o normal. As letras tiveram grande influência de best sellers mundiais das histórias em quadrinhos, o que resulta em um trabalho bem interessante. Mesmo nos momentos mais folk e leves, o resultado fica bem acima da média.

David “Rock” Feinstein – “Bitten by the Beast” – O primo de Ronnie James Dio lança o seu mais novo álbum solo e mostra um trabalho honesto e competente, com guitarras rápidas e bem trabalhadas. Entretanto, merece destaque por trazer a última gravação feita pelo primo, que morreu em maio do ano passado: “Metal Will Never Die”, de longe a melhor música do álbum. Feinstein e Dio tocaram juntos nos 60 e 70 nas bandas Ronnie Dio and the Prophets e The Elves.

Grave Digger – “The Clans Are Still Marching” – Este lançamento é um pacote CD/DVD ao vivo, que traz o show do quinteto alemão no Wacken Festival, na Alemanha, em 2010. Nada menos do que excelente, fazendo uma apresentação baseada na história da Escócia, com músicas dos álbuns “Tunes of War” (1996) e “The Clans Are Marching” (2010). Há convidados especiais como a cantora Doro Pesch, o vocalista Hansi Kursch (Blind Guardian) e a banda Van Canto.

Avantasia – “THe Flying Opera – The World in 20 Days” – É o registro em DVD e em CD duplo da turnê que passou por São Paulo em dezembro passado. O projeto paralelo de Tobias Sammett (Edguy) está crescendo a cada novo lançamento. O que era para terminar em dois CDs, encerrando uma ópera-metal, chegou a cinco álbuns e não vai terminar. A produção deste pacote é primorosa e o mais legal, os convidados especiais estão lá, gente como Jorn Lande (Masterplan), Kai Hansen (Gamma Ray), Michael Kiske (Unisonic, ex-Helloween), Amanda Somerville, Bob Catley (Magnum), entre outros.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.