Quanto você gastou em shows em 2010?

Estadão

18 de dezembro de 2010 | 23h25

Carol Pascoal e Marina Vaz

Quanto vale um show do U2? Depende de onde você está. No ano que vem, a banda irlandesa toca em São Paulo e em Buenos Aires. Lá, o ingresso mais caro vai custar o equivalente a R$ 557. Aqui, o maior preço será R$ 1 mil. Em 2010, 50 grandes artistas internacionais lotaram estádios, festivais e casas de shows na cidade.

Só na segunda quinzena de novembro, houve apresentações de Paul McCartney, Pavement, Lou Reed, Scissor Sisters, Jeff Beck. Você sabe quanto tudo isso custou para você? Fizemos essa conta, colocando no papel (e na calculadora) todos os custos relacionados às apresentações, incluindo as polêmicas taxas de conveniência.

Nas próximas páginas, você vai ver os exemplos mais emblemáticos. Há comparações desconcertantes entre os preços dos mesmos shows em outros países. Também imaginamos como você poderia ter investido em outras atrações da cidade o dinheiro que gastou.

Paul McCartney em São Paulo (FOTO: FILIPE ARAÚJO/AE)

 Um exemplo: somando o valor das taxas de conveniência de todos os shows (considerando os ingressos de preço mais alto), daria para ter ido mais de 70 vezes à mais luxuosa – e mais cara – sala de cinema de São Paulo, no Shopping Cidade Jardim (R$ 49).

Os cálculos levam a uma pergunta: por que os shows são tão caros aqui? Procuramos produtores e também especialistas em direitos do consumidor para tentar entender. Afinal, para quem gosta de música, 2011 será, outra vez, um ano de muitos gastos – a agenda tem Amy Winehouse, U2, Ozzy Osbourne, Roxette… Feche as contas sem ter de fechar os ouvidos. 

PREJUÍZO CALCULADO

Imagine o quanto você teria gastado se tivesse ido a todos os grandes shows internacionais do ano. Pare de imaginar. Fizemos as contas para você:

R$ 805 – Jonas Brothers

Os jovens irmãos desbancaram (no preço) veteranos como Robin Gibb (R$ 750) e Paul McCartney (R$ 700)

R$ 600 – Bon Jovi

O pop massifica… os preços. Ver Bon Jovi custou o mesmo que Beyoncé e Black Eyed Peas

R$ 500 – Eminem e Rush

O rapper retomou a carreira com preços de quem está no auge. Valor igual ao do Rush, R$ 500

R$ 300 -Franz Ferdinand

O preço do ingresso foi o mesmo de Nelly Furtado e Scissor Sisters. Todos no Via Funchal. Padrão da casa?

R$ 40 – Lou Reed

O show manteve os preços usuais do Sesc. Os fãs de Ornette Coleman (R$ 40) também economizaram

R$ 0 – Norah Jones

Este foi o único grande show internacional grátis do ano, no Parque da Independência

R$ 17.955

teria sido o seu gasto, se tivesse ido aos 50 principais shows internacionais do ano, nos melhores lugares. Nos piores, seria R$ 7.475

R$ 3.517

seria o total de taxa de conveniência, se tivesse comprado os ingressos (mais caros) pela internet. Para os mais baratos: R$ 1.421

PONHA NA CONTA

O ingresso só lhe dá o direito de entrar no local do espetáculo. Um show custa mais do que isso. Relacionamos o preço médio de outros itens que costumam fazer parte do programa:

Cerveja: R$ 5 – O preço da latinha em shows chega a ser cinco vezes mais caro do que em um mercado.

Churro: R$ 5 – É o mesmo valor cobrado na Casa do Churro (R. Rodrigues Barbosa, 232, 2671-9044).

Estacionamento próximo: R$ 100 O valor da pernoite em estabelecimentos do Centro é, em média, R$ 15. A diária vale R$ 9.

Sanduíche natural: R$ 8 – O sanduíche de frango do Desfrutti (R. Peixoto Gomide, 988, 3285-3979) sai por R$ 9,90.

U2 NO VIZINHO

Ver o U2 aqui, em abril, no melhor lugar, custa quase o mesmo que ver a banda em Buenos Aires (incluindo os gastos da viagem). A diferença é pouco mais de R$ 100 (e um dia livre para passear):

R$ 1 mil – é quanto custará o ingresso para o Red Zone do U2, no Estádio do Morumbi

R$ 643 – é o que custará um lugar no mesmo setor do show em Buenos Aires, em março

R$ 133 – é o preço de uma diária em um hotel quatro estrelas na cidade portenha

R$ 400 – é o que se pode pagar por passagens de ida e volta para Buenos Aires

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: