Podcast Combate Rock nº 4 pergunta: o blues ainda é relevante?

Estadão

16 de outubro de 2010 | 23h38

O blues é o começo de tudo. O cântico dos escravos norte-americanos saiu do sul dos Estados Unidos, ganhou a cidade de Chicago e se espalhou pelo mundo.

Não existiriam Eric Clapton, Jeff Beck, Rolling Stones, Beatles, Led Zeppelin, Jimi Hendrix, Beatles, Iron Maiden, Stevie Ray Vaughan, Metallica e tudo o mais sem a música de Muddy Waters, Charlie Christian, Robert Johnson, Wllie Dixon, B.B. King, Buddy Guy, Junior Wells, Big Mama Thornton, Champion Jack Dupree, Blind Lemon Jefferson, Howlin’ Wolf e muitos milhares mais.

O blues como alma do rock e da música que escutamos hoje (MONTAGEM FEITA PELO BLOG O CAFÉ - SUB-SUB-DIVISÕES MUSICAIS)

Hoje o blues está classificado pelo mercado como um “nicho”, assim como o jazz. Deixou de ser popular como era nos anos 70, e perdeu boa parte do prestígio que ainda tinha nos anos 80. A era digital, com os downloads ilegais, só agravou a situação.

A pergunta que fazemos: o blues ainda hoje é relevante em termos de mercado? Será que ainda conseguirá atrair a atenção do público jovem fora das escolas de música e dos conservatórios? Essa é a proposta do programa-podcast Combate Rock Nº 4, que já está no ar.

Nós achamos que o blues é e sempre será relevante. E você, o que acha? Escute o podcast Combate Rock Nº 4.

Clique aqui para ouvir.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: