Para a Moda de Rock, 'rock atual está muito careta'

Estadão

04 de setembro de 2012 | 12h00

Ricardo Vignini (esq.) e Zé Helder

Felipe Branco Cruz

A dupla Ricardo Vignini e Zé Helder provou que heavy metal tem tudo a ver com moda de viola. Os dois violeiros são integrantes da banda Matuto Moderno e professores de viola. Para prender a atenção dos alunos que só queriam saber de guitarras distorcidas, eles passaram a adaptar músicas de bandas como Led Zeppelin, Metallica, Iron Maiden e Nirvana para a viola caipira. “Era um jeito de catequizar os moleques. A coisa foi tomando corpo e, em pouco, tempo já tínhamos um vasto repertório”, explica Ricardo Vignini.

O projeto, que começou despretensiosamente em 2007, deu origem ao CD Moda de Rock, lançado em 2011 pelo selo Folguedo. O disco fez tanto sucesso que a tiragem de 1 mil cópias já se esgotou. “Mandamos prensar mais 1 mil e deve acabar rápido também”, avisa Vignini.

O álbum vem com 11 músicas. In the Flesh, do Pink Floyd, por exemplo, virou uma valsinha nas mãos de Vignini e Zé Helder. Já Aces High, do Iron Maiden, e Master of Puppets, do Metallica, ganharam uma levada de pagode de viola.

O repertório conta ainda com Beatles, Jimi Hendrix, Megadeth, Sepultura, Jethro Tull e Ozzy Osbourne. “O público do heavy metal é igual ao da moda de viola. Ambos são radicais e colecionadores”, analisa Vignini. “O disco está chegando primeiro na mão da molecada do heavy metal, que é mais antenada com a internet”.

Profanação?

O violeiro-metaleiro Vignini não se preocupa com possíveis críticas de que estaria profanando a viola com músicas de heavy metal. “Nunca rolou essa profanação. Acho que o ponteado do Tião Carreiro tem a mesma energia que um solo do Jimi Hendrix. Não separo esse tipo de coisa.”

Moda de Rock foi masterizado nos estúdios de Abbey Road, em Londres, onde Beatles e Pink Floyd já gravaram. A escolha do repertório foi feita a partir das canções que marcaram a adolescência de Vignini. “Tem tanta música que já estamos pensando em fazer um Moda 2”, diz.

 O músico, no entanto, alerta que, ao se adaptar para a viola, é preciso abrasileirar os ritmos. “O caboclo da roça, que nunca ouviu heavy metal, vai achar que está ouvindo uma moda de viola mais elaborada”.

Ele acha que o rock’n’roll atual anda muito careta. “O que me levou para o mundo da moda de viola foi a música caipira, porque o rock americano é baseado na música caipira deles, que é o country. Acho que deveríamos ter mais isso aqui também”.

 Além disso, quer quebrar esse preconceito de que heavy metal é só gritaria e guitarra distorcida. “Quanto você analisa o heavy metal, é possível perceber o quanto é interessante e genial os arranjos e as melodias. Percebemos o quanto a música é rica e criativa. Foi preciso um estudo complexo e bastante disciplina para adaptarmos para a viola”.

Moda de Rock é um álbum em que os clássicos do heavy metal viram moda. Mas o contrário – transformar o modão em rock – já foi feito pelo próprio Vignini. Esse som pode ser conferido em outro disco, Empreitada Perigosa, em que ele e Zé Helder, junto com a banda Matuto Moderno, deram uma roupagem rock a modas de viola. Uma miscelânea para ninguém botar defeito.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.