Ouvi, ouvi e ouvi….é o melhor disco do R.E.M.

Estadão

16 Abril 2011 | 08h13

Daniel Fernandes

Os críticos. De todos os tipos. Ah, os críticos. Bem, até eles se renderam ao novo disco do R.E.M. “Collapse Into Now”. E eu fico me perguntando aqui com os meus botões sonoros: por que esse disco é tão bom?????? Porque ele é bom mesmo. Como disse André Barcinski, disco bom é aquele que nós ouvimos sem parar.

E o novo álbum do R.E.M. é isso. Você escuta, escuta, escuta, escuta e escuta. Ele vai e volta no iPod. Acho que esse é o principal mérito da banda – e convenhamos que um grupo conseguir fazer isso depois de tanto tempo na estrada é algo louvável. Merece toda a nossa reverência.

Acho que a trupe de Michel Stipe conseguiu finalmente se libertar do Automatic For The People. Sim, esse álbum, lançado logo após o mega sucesso Out Of Time (Losing My Religion, Shiny Happy People) era definitivo na minha opinião. Tinha tudo e de tudo um pouco. Melodias espetaculares, poderosas, mesmo sem tanta guitarra para cá e para lá nos ouvidos.

Pois desde Automatic o R.E.M. tentava mostrar que não era o que tinha escancarado ao mundo. Uma banda madura. Vieram discos chatos, como Monster, como Reveal, como Accelerate. E aí, depois de tanto lutar, assumiram seu lugar no mundo com Collapse Into Now. São sérios, sem frescura. Produzem melodias delicadas, sem frescura.

Finalmente o R.E.M. assumiu a velhice. E isso é bom (pena que eu também envelheci!!!!)

Eles….antes e depois: