Os ídolos de infância de John Lennon na trilha de 'Nowhere Boy'

Estadão

04 de dezembro de 2010 | 08h27

 Jotabê Medeiros

 Essa trilha sonora pode contribuir para dar um claro entendimento do que os Beatles ouviam quando, ainda adolescentes, gestaram a banda mais famosa do planeta. Pesquisa feita pelo diretor Sam Taylor-Wood para seu filme  “Nowhere Boys”, que passou na Mostra de Cinema de São Paulo, e cujo núcleo se baseia no livro “Imagine This: Growing Up With My Brother John Lennon”, escrito pela meio-irmã de Lennon, Julia Baird.

Interessante porque a produção resgatou, além dos grandes ídolos inescapáveis da época (Jerry Lee Lewis, Elvis Presley, Eddie Cochran), outros que, quando a gente ouve atentamente, pensa: isso faz muito sentido.

 É o caso de “Screamin’ Jay Hawkins” cantando ” I Put a Spell on You”, um estilo de cantar berrando que John Lennon soube decifrar como poucos. Também está aqui o incrível caso de Wanda Jackson, cantando “Hard Headed Woman”.

Essas gravações, de Screamin’ (1956) e Wanda (1961), nos mostram que o amálgama que resultou no rock’n’roll é bem mais complexo do que geralmente a gente pensa. É indubitavelmente uma música negra em sua origem, mas que também empresta dos sistemas sonoros brancos, como as bandas de salão.

Muitas raridades para os amantes da arqueologia musical, como “Rocket 88”, de Jackie Brenston and His Delta Cats, de 1951. E outras que não estão nem datadas, como “Rockin’ Daddy”, de Eddie Bond & The Stompers.

Para completar, para os beatlemaníacos de carteirinha, há uma versão desconhecida de “Mother”, de John Lennon e The Plastic Ono Band, de 1970, produzida por Phil Spector, cedida por Yoko Ono para a produção. A mulher tem uma gaveta infindável, que abasteceu a festa dos 70 anos e vai durar muito ainda, pelo jeito.

O filme também “inventou” uma banda para, além de protagonizar o filme, fazer releituras reais desses clássicos, batizada de Nowhere Boys. Proporciona grandes momentos, como a versão que fizeram de “That’s All Right”, primeiro grande sucesso de Elvis Presley, tomado ao cantor negro Arthur Crudup. Melhor que muito disco de carreira da temporada.

Tudo o que sabemos sobre:

BeatlesJohn Lennon

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: