Os 50 anos da primeira gravação oficial dos Beatles – e Ringo quase saiu da banda

Estadão

19 de junho de 2012 | 06h39

Marcelo Moreira

Uma banda desconhecida, com um baterista visivelmente inadequado, segundo os técnicos de estúdio – e na opinião do produtor, que não hesitou um segundo em chamar um baterista de estúdio para gravar uma segunda versão. Por conta disso, Ringo Starr pensou que seus dias nos Beatles estariam contados poucos dias depois de substituir Pete Best.
O quarteto de Liverpool chegou bem confiante, embora o produtor George Martin e executivos desconfiassem muito daqueles “caipiras do norte” fazendo barulho com guitarras.

No dia 4 de setembro de 1962, os quatro entraram no estúdio 2 de Abbey Road para a sua primeira gravação oficial, “Love Me Do”, de John Lennon e Paul McCartney. O compacto simples, com “P.S.: I Love You” no lado 2, chegaria às lojas um mês depois e viraria sucesso nacional pelos quatro meses seguintes.

Os 50 anos da primeira gravação oficial dos Beatles já estão sendo comemorados em Liverpool, mas o fato marcante é que Ringo correu riscos de sair da banda – pequenos, é verdade.

O quarteto gravou algumas vezes a música na presença de Martin, que desde o começo reclamou da performance do baterista. Achava que estava faltando pegada. Ringo tentou, foi humilde e ouviu atentamente as recomendações de Martin e dos técnicos de som. Melhorou bem ao final das sessões, no olhar de George Martin, mas ainda assim não agradou.

Sem a menor cerimônia, e para irritação de todos os Beatles, chamou Andrew “Andy” White, um baterista de estúdio que prestava serviços aos estúdios Abbey Road e era um dos preferidos de George Martin.

Uma das capas do compacto simples 'Love Me Do'

Ao final da mixagem, o produtor tinha duas versões, uma com Ringo e outra com White. Depois de muitas dúvidas, escolheu a versão com Ringo para o compacto inglês – versão que está na coletânea “Past Masters vol. 1”. No ano seguinte, uma versão com White na bateria e Ringo nas maracas e no tamborim seria lançada nos Estados Unidos. O lado B, “P.S.: I Love You”, saiu no compacto com a versão de Andy White.

No LP “Please Please Me”, lançado no comecinho de 1963, “Love Me Do” aparece regravada, com Ringo Starr na bateria, e essa versão é a que estaria na maioria das coletâneas do grupo desde então.

Existe ainda uma terceira versão da música com outro baterista – na verdade, a primeira, com Pete Best, na audição de junho de 1962 para os executivos da EMI e para Martin, que aprovou o grupo, desde que mudassem de baterista. E foi isso o que ocorreu.

A versão de Pete Best ficou inédita até 1995, quando foi incluída no álbum Anthology 1. “Love Me Do”, com Ringo na bateria, também foi regravada oito vezes durante os programas de rádio da BBC (“Here We Go”, “Talent Spot”, “Saturday Club”, “Side By Side”, “Pop Go The Beatles “e “Easy Beat”) entre outubro de 1962 e outubro de 1963.

A versão que foi gravada no dia 10 de julho de 1963 e foi ao ar dia 23 de julho no programa Pop Go The Beatles pode ser ouvida no álbum “Live at the BBC”.

 

Foto rara dos Beatles ensaiando no dia 4 de setembro 1962 no estúdio 2 de Abbey Road

Outras gravações pioneiras

Embora as duas músicas deste compacto tenham sido as primeiras gravações oficiais dos Beatles, eles já tinham registrado seu trabalho pelo menos duas vezes antes. Na companhia do cantor alemão Tony Sheridan, fizeram registros toscos durante a segunda temporada deles em Hamburgo.

Além de acompanhar o cantor, gravaram “My Bonnie”, que virou um compacto independente vendido no norte da Inglaterra ainda em 1962. Foi por meio dessa música que o então lojista Brian Epstein conheceu a banda e os convenceu a assinar um contrato de empresariamento, que só acabou em 1967, com a morte do ex-lojista.

O restante das gravações com Sheridan ficou obscuro até meados dos anos 70, quando surgiram do nada em LPs de diversos selos. Até então, pouquíssimos exemplares originais da época, 1962, existiam na Alemanha.

Também nos anos 70 apareceu um LP duplo chamado “Live at the Star Club 1962”, gravado ao vivo no clube de Hamburgo e que sempre foi repudiada pelos Beatles.

Também são anteriores a “Love Me Do” as gravações feitas para o teste na Decca Records, a célebre gravadora que recusou os Beatles, seguido de arrependimento profundo e da contratação dos Rolling Stones no ano seguinte – por indicação de George Harrison.

A sessão que determinou a recusa pelos executivos da Decca surgiu em LPs piratas nos anos 70, até que finalmente ganhou um versão decente, autorizada, mas limitada, em CD, nos anos 80. Algumas dessas gravações estão no volume um da série “Anthology”.

Tudo o que sabemos sobre:

BeatlesGeorge MartinRingo Starr

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.