O prog folk do Karnataka em novo CD – e em novo recomeço

Estadão

16 de maio de 2011 | 16h00

Marcelo Moreira

Existe uma cena prolífica de bandas do chamado prog folk na Inglaterra que floresceu nos anos 2000. Não é coincidência que o número de bandas tenha aumentando consideravelmente após o surgimento do Blackmore’s Night nos Estados Unidos em 1997, grupo que mescla melodias medievais, renascentistas e eruditas sob o comando do inglês Ritchie Blackmore, guitarrista fundador do excelente Deep Purple.

Quem deu o pontapé inicial dessa nova onda prog folk foi o Mostly Autumn, que acabou atraindo músicos excelentes que criaram projetos como Karnataka, Breathing Space, Odin Dragonfly, Parade, Panic Room e mais uma série de grupos.

Os mais importantes são o Mostly Autumn, que lançou recentemente o CD “Go Well Diamond Heart” – já mencionado neste Combate Rock – o Karnataka, grupo do País de Gales que finalmente lança seu quarto álbum após sete anos de descanso forçado.

Formação do Karnataka em 2003, ainda com Rachel Jones nos vocais (à frente)

Assim como o Mostly Autumn investiu nos duetos com vozes masculinas e femininas – Bryan Josh, Heather Findlay e sua substituta, Olivia Sparnenn -, o Karnataka seguiu pelo mesmo caminho sem, contudo, conseguir fixar uma titular por muito tempo.

Passaram pela banda as excelentes Anne Marie Helder, Rachel Cohen (antes de se casar era Rachel Jones) e Lisa Fury, que saiu há poucos meses. Isso se reflete na própria existência da banda.

Sempre liderada por Ian Jones, baixista e guitarrista, o Karnataka – nome de um Estado da Índia – penou com as constantes mudanças de formações entre 1996, quando foi formado, e 2004, quando acabou pela primeira vez após três CDs de estúdio e um duplo ao vivo extraordinário.

Voltou no ano seguinte para uma série de shows acústicos e Ian Jones conseguiu estabelecer um núcleo criativo fixo, enquanto vários músicos itinerantes ajudavam nos shows e nas eternas gravações de “The Gathering Light”, que viu a luz do dia neste ano.

Capa de 'The Gathering Light'

Entretanto, a falta de perspectivas, mesmo com um disco muito bom na praça, acabou por provocar novo fim da banda em maio. Entretanto, parece que a turma não consegue ficar longe dos palcos e no ano passado finalmente Ian Jones anunciou o retorno para dar continuidade à divulgação do novo álbum. Por enquanto, além de Jones, aparecem na formação atual o vocalista e guitarrista Enrico Pinna e o baterista Louie Palmer.

“The Gathering Light” mostra a banda mais madura e equilibrada, utilizando mais as guitarras e instrumentos de cordas. Apesar de algumas passagens irregulares, é coeso e suas composições são bastante densas, apesar dos interlúdios e de trechos acústicos. Recomendado para quem gosta de rock progressivo de qualidade.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.