O melhor do blues nacional em um paraíso da gaita

Estadão

11 de dezembro de 2012 | 06h35

Marcelo Moreira

O evento estava em seu auge, com diversas jams ocorrendo no palco. Eram mais de 20 gaitistas esperando para dar a sua canja, todos eles entre os melhores instrumentistas do Brasil, e a maioria dedicada ao blues.

E então aparece uma moça imponente, bonita, de salto alto, saindo do meio da plateia e assume um dos microfones, e inicia um duelo sensacional de gaitas diatônicas blues na fantástica “The Sky Is Crying”. E tocou de igual para igual com gente como os mestres Sérgio Duarte, Geison Cezare, Ivan Marcio e Márcio Abdo, entre outros.

No meio de tantas feras, a jovem paranaense Indiara Sfair se destacou como a única mulher entre as atrações da 1ª Expo Harmonica de São Paulo, um dos eventos musicais e culturais mais interessantes deste final de ano.

Mais de mil pessoas circularam pelo colégio Metanew, no bairro do Tatuapé, na zona leste de São Paulo, para prestigiar o grande encontro de blueseiros e gaitistas no último final de semana, com boa organização da empresa H-Unit.

Dos grandes da gaita de boca no país, apenas o excelente Flávio Guimarães, do Blues Etílicos, não pôde comparecer por problemas de agenda. Tocaram e fizeram workshops, além de divertidas conversas informais músicos do calibre de Milton Guedes, Ivan Marcio, David Tanganelli, Marcio Maresia, Big Chico, Benê Chireia, Márcio Abdo, Marco Maresia, Little Will, André Carlini, Márcio Scialis, Jair Silveira, Jefferson Gonçalves e os já citados Sérgio Duarte, Indiara Sfair e Geison Cezare.

Em total clima de confraternização, a Expo Harmonica reuniu em um mesmo local um verdadeiro shopping center de gaita, blues, jazz e até MPB.

Ivan Marcio durante uma demonstração de seu equipamento. O gaitista já tocou com a Prado Blues Band e gravou dois CDs em Chicago (FOTO: EDUARDO ÁLVARES GASPAR)

Ali era possível encontrar à venda qualquer tipo de gaita, desde as Hohner e Hering mais simples, que custavam a partir de R$ 80, até as excelentes Suzuki japonesas, clássicas, com preços variando entre R$ 270 e R$ 400, passando por instrumentos mais sofisticados, como as gaitas cromáticas que preços superiores a R$ 300.

Chamou a atenção uma gaita baixo Suzuki SDB-39 Double Bass, vendida pela Harmonica Master – uma das patrocinadoras do evento –, com preço de R$ 1,2 mil. Como comparação grosseira, este instrumento seria algo como uma guitarra de dois braços, imortalizada por Jimmy Page, do Led Zeppelin.

Na parte técnica, chamaram a atenção os microfones vintage apresentados por especialistas como Rodrigo dos Santos e Ivan Marcio, além de dicas técnicas essenciais de Sérgio Duarte, que representou outro peso pesado do mercado, a Andy Cabos. Como novidade, uma linha completa de amplificadores novos e com regulagens específicas para guitarras e gaitas da Borne, empresa de Guarulhos (SP), que começa a despontar no mercado.

A profusão de CDs e DVDs de blues à venda levou ao delírio os colecionadores e músicos que passaram pelo local, que reverenciaram o local que talvez fosse o mais mágico do evento: uma exposição que contou a história das gaitas de boca e harmônicas com verdadeiras relíquias – instrumentos, microfones, toda a sorte de equipamentos e uma completa historiografia, incluindo folders, cartazes e capas de discos e suas respectivas reproduções. Um evento cultural completo.

 

Márcio Maresia e Indiara Sfair em jam session inspirada na Expo Harmonica (FOTO: EDUARDO ÁLVARES GASPAR)

O ambiente estava tão descontraído e convidativo que os músicos simplesmente se recusavam a deixar o palco. O palco era pequeno, mas teve de suportar oito gaitistas ao mesmo tempo em uma jam session interminável – e maravilhosa – com clássicos do blues como “The Sky Is Crying”, “Key to the Highway” e várias emendas com mais clássicos do b lues e da música brasileira.

Ficou claro que o evento é uma ideia estupenda e que consegue atrair tanto o público específico como outro mais amplo, aquele que gosta de eventos culturais e que ama a música.

A primeira edição foi um sucesso, ainda que tenham predominado a informalidade, a descontração e a camaradagem, que ajudaram a dar um charme no ambiente de improvisação.

Contando com o apoio da Hering Harmônicas, um gigante do segmento, o evento tem tudo para crescer e ganhar mais de uma edição ao ano e atrair o apoio de outros grandes do mercado, como a Hohner (ainda é considerada o nome mundial mais representativo na área de gaitas) e outros fabricantes de guitarras, baixos, baterias, teclados e acessórios, transformando a Expo Harmonica em um grande encontro do blues no Brasil.

 

festa do blues no palco: da esq. para a dir., Ivan Marcio, Marcio Scialis. Indiara Sfair (tocando), Geizon Cezare (de boné), Sérgio Duarte e Márcio Abdo (FOTO: EDUARDO ÁLVARES GASPAR)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.