No primeiro grande teste, Viper passa com louvor

Estadão

03 de julho de 2012 | 06h40

Monique Abrantes *

 O público paulistano pôde comprovar no último domingo  que a energia dos integrantes do Viper de duas décadas atrás continua a mesma. Depois de 22 anos, São Paulo recebeu Andre Matos (vocal), Pit Passarell (baixo), Felipe Machado (guitarra), Hugo Mariutti (guitarra) e Guilherme Martin (bateria) para celebrar os 25 anos da banda, que, em seu início, foi considerada o Iron Maiden brasileiro.

Com formação quase original, exceto pelo baterista, os soldados do amanhecer do metal brasileiro executaram na íntegra os dois álbuns gravados, o Soldiers of Sunrise (1987) e Theatre of Fate (1989), sendo este último o responsável pelo reconhecimento internacional da banda no final da década de 1980.

Mesmo com o atraso de um pouco mais de uma hora, o público não desanimou e recebeu a banda com empolgação. Antes de cantar Wings Of The Evil,    quarta música do set list, Andre Matos saudou a plateia de 1.700 pessoas, composta por ao menos três gerações diferentes de fãs, que farão parte do DVD comemorativo que está sendo gravado pelo Viper, com previsão de lançamento para novembro deste ano.

A surpresa da noite ficou por conta da participação especial do guitarrista original e membro fundador da banda, Yves Passarell, que atualmente toca no Capital Inicial. A lotação da casa e o pouquíssimo espaço disponível para o público não desmotivou a plateia quando Yves e companhia tocaram Living For The Night. Esse foi o primeiro show da turnê do Viper em que o atual guitarrista do Capital Inicial tocou.

Mesmo tanto tempo depois, ao contrário do que acontece com a maioria dos vocalistas, Matos cantou as músicas do Viper com o conforto de quem está em uma roda de amigos, atingindo os agudos notáveis de canções como Prelude to Oblivion e A Cry From the Edge e transmitindo toda a energia de Nightmare, Soldiers of Sunrise e H.R.

 Apesar da boa atuação do vocalista, alguns fãs se queixavam do volume do seu microfone, prejudicado, principalmente, pela falta de espaço da casa de show, o que fez com que muitas pessoas assistissem ao show das laterais da pista.

Durante o intervalo, foram exibidos trechos do DVD gravado em 2007, quando a banda completou 20 anos de existência. A plateia riu muito quando os integrantes relembraram uma de suas apresentações iniciais em um tradicional colégio paulistano, em que Andre Matos corria pelo palco com uma tocha de fogo, que, acidentalmente, caiu em cima da caixa da bateria. Assustado, o roadie da banda Valder Santos chutou um pedaço da tocha, que alastrou o fogo para as cortinas do teatro. Por sorte, ninguém se feriu. Mas rendeu boas risadas de todos.

Iniciando com a At Least a Chance em ritmo acelerado, a segunda parte do show foi a que mais cativou os fãs a cantar com Andre Matos. Sucessos como a faixa-título Theatre of Fate e To Live Again, que dá nome à nova turnê da banda, foram executadas com bastante entusiasmo pela banda.

A finalização ficou por conta de Rebel Maniac, do álbum Evolution, seguido por um inusitado cover de We Will Rock You, do Queen, que encerrou a noite memorável para o metal nacional, prometida pela banda no início do show.

 *Colaborou Lucas Agrela

 

 

Tudo o que sabemos sobre:

André MatosViper

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.