Música capaz de parar o mundo

Estadão

10 de agosto de 2010 | 17h21

Daniel Fernandes

Vamos deixar uma coisa bem clara. Não conheço, não entendo e não sei discutir música como meu colega de blog Marcelo Moreira. Não sei nem metade do que ele sabe. Até por isso meu gosto musical é totalmente diferente em relação ao dele. Não há certos e errados nesse combate.

Minha relação com músicas, bandas, discos, cd´s….é passional. Eu gosto porque gosto. Gosto, na verdade, daquilo que de alguma forma me faz parar e pensar. Parar para pensar. Músicas que são capazes de mudar a rotina massacrante do nosso cotidiano.

É por isso que senti um baque ao ouvir pela primeira vez She & Him, que conta com a ‘fofa’ Zooey Deschanel. Mas não é porque ela é ‘bonitinha’, como diria Ronnie Von, que eu gosto dos dois discos que eles lançaram até agora. Gosto por causa de músicas como ‘Sentimental Heart’, que abre o primeiro disco (Volume One). Ou alguém é capaz de questionar o verso de abertura da música: “Cried all night ‘till there was nothing more (Chorei a noite toda até não restar mais nada).

Escutei pela primeira vez She & Him no trabalho. O dia estava corrido, mas de repente o mundo parou. E a voz dela preencheu todo o espaço da minha cabeça: “You Really Got a Hold On Me” foi a música. “I don´t like you, but I love you” (Eu não gosto de você, eu te amo).

Engraçado!

Essa música me prendeu. Do mesmo jeito que uma certa música do The Cure. Outra das preferidas da casa. Mas essa é uma outra história.

Fiquem na companhia de Zooey. Garanto que é bem melhor.

Tudo o que sabemos sobre:

Ronnie VonShe&HimZooey Deschanel

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: