Morre Tony Sheridan, o primeiro 'descobridor' dos Beatles

Estadão

18 Fevereiro 2013 | 22h33

Marcelo Moreira

Ele sempre disse que “descobriu” os Beatles. E não mentiu, dependendo do ponto de vista. Com a honra de ter os Beatles como banda de apoio, o guitarrista e cantor inglês Tony Sheridan foi o primeiro a perceber o talento dos então garotos na fria e cinzenta Hamburgo, cidade portuária alemã, nos comecinho dos ano 60.

Pois o primeiro descobridor dos Beatles morreu no último sábado, aos 72 anos, na mesma cidade alemã onde dava os primeiros passos na carreira musical e onde optou por viver.

Seu nome verdadeiro era Anthony Esmond O’Sheridan McGinnity. Talento precoce, abandonou a escola no fim dos anos 50 para se tornar profissional e logo entrou em bandas de jazz e skiffle (ritmo aparentado do rock e do rockabilly) que excursionavam pelo continente europeu. Participou ainda de programas musicais na TV inglesa.

Sheridan achou que a carreira estava decolando quando foi escalado para tocar e acompanhar astros do nascente rock norte-americano por toda a Grã-Bretanha. Tocou com gente como Gene Vincent e Eddie Cochran e sentiu-se pronto em 1960, mesmo não tendo completado 20 anos de idade, para liderar sua própria banda de rock

Foi no ano seguinte, em 1961, que dividiu o palco com os moleques dos Beatles em Hamburgo. Embora da mesma idade, era mais experiente, e ajudou o então quinteto de Liverpool a se estabelecer nas hostis casas noturnas do cais do porto.

A amizade floresceu e Sheridan “contratou” os Beatles como banda de apoio para uma série de gravações simplórias em um estúdio local.

Uma delas “My Bonnie”, virou um compacto desprezado na própria Alemanha e no norte da Inglaterra, até que um garoto pediu o compacto em uma loja de Liverpool, administrada por um certo Brian Epstein.

Ele não o tinha e ficou intrigado quando mais quatro pessoas pediram pelo produto naquela semana. O dono de loja foi então saber do que se tratava e quem eram os Beatle Virou empresário dos garotos e os ajudou a se transformar nos maiores da história.

As 14 gravações de Sheridan com os Beatles foram reeditadas centenas de vezes no mundo inteiro em LP e CD, sob as mais diversas denominações.  Do total, uma delas era um número instrumental composto pelos próprios Beatles e executado sem o cantor, chamada “Cry for a Shadow”; outra foi cantada pelos garotos, “Ain’t She Sweet”.

Sheridan esteve no Brasil em 2010 quando fez um show em Vitória, no Espírito Santo, em um famoso evento anual em homenagem aos Beatles, que já trouxe também o baterista Pete Best, o primeiro oficial da banda.
Em 2011, um selo alemão lançou um CD duplo com as gravações originais e vários takes alternativos do trabalho de Sheridan com o Beatles para comemorar os 50 anos das primeiras sessões em Hamburgo. O trabalho também foi lançado na Inglaterra.

Mais conteúdo sobre:

BeatlesTony Sheridan