Morre Andy Johns, produtor dos Rolling Stones e do Led Zeppelin

Estadão

08 de abril de 2013 | 02h35

Marcelo Moreira

Mago da produção musical, que aprendeu na marra observando o trabalho que era feito nos discos dos Beatles e dos Rolling Stones. O inglês Andy Johns era um curioso dos estúdios, bom músico, mas não tão bom a ponto de ter a sua própria banda. Preferiu seguir os passos do irmão mais velho, Glyn, e pilotar as gravações. Morto neste dia dia 7 de abril, aos 61 anos, Andy se tornou referência de produção bem feita na Inglaterra nos anos 70. Era um operário dos botões, segundo Keith Richards, guitarrista dos Stones.

A causa da morte não havia sido informada pelos familiares até o início desta madrugada, de 8 de abril. Músicos de todo o planeta lamentaram a morte do produtor, sendo que Slash, o ex-guitarrista dos Guns N’Roses, foi um dos primeiros a postar mensagens no Facebook e no Twitter.  Também se manifestaram pela internet Brian May (Queen), Peter Frampton e Kevin Shirley (produtor de Iron Maiden e Dream Theater).

Aos 15 anos o moleque já se enfiava nos estúdios onde estavam sendo gravados álbuns importantes, como “Beggar’s Banquet”, dos Stones, no qual seu irmão era um dos engenheiros de som. Era o auge do Olympic Studios, em Londres. A carreira dos irmãos decolou rápido. Glyn Johns logo seria responsável pela produção e mixagem de uma obra-prima, “Who’s Next”, de 1971, o melhor álbum do Who.

Andy Johns

FOTO: THE MUSIC NETWORK

Na cola, antes mesmo dos 20 anos, lá estava Andy fuçando nos equipamentos e ajudando a equalizar o som dos dois primeiros álbuns do Free, de Paul Rodgers, entre 1968 e 1969.

Entre 1968 e 1973 participou de todos os álbuns dos Rolling Stones, seja como engenheiro, como técnico de som ou mesmo como produtor associado, ao lado do lendário Jimmy Miller, morto em 1995. Os dois foram os responsáveis pela captação e mixagem de outra obra-prima, “Exile on Main Street”, clássico stoniado de 1972.

Aos 21 anos, a fama chegou rápido. Esteve envolvido em algumas produções do Pink Floyd pouco depois de ajudar Eddie Kramer em várias músicas de Jimi Hendrix, até ser recrutado por Jimmy Page em 1971 para trabalhar em “led Zeppelin IV”, outro clássico do rock.

Em mais de 40 anos de carreira, produziu álbuns dos seguintes artistas: Humble Pie, Free, Television, Van Halen, Cinderella, Michael Schenker, Rod Stewart, Joe Satriani, Bon Jovi, Chickenfoot e Eric Johnson, entre muitos outros; atuando apenas como engenheiro de som, trabalhou com gente como Eric Clapton, Led Zeppelin, Rolling Stones, Spooky Tooth,  Joni Mitchell e Godsmack. Seus últimos trabalhos foram as produções dos mais recentes álbuns de Steve Miller e Chickenfoot, banda de Satriani e Sammy Hagar.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: