Mick Hucknall se dedica a carreira solo e diz esperar 'chegar ao topo'

Estadão

06 de novembro de 2012 | 17h00

Mateus Coutinho – Especial para Território Eldorado

Após o lançamento de seu primeiro álbum solo “American Soul”, realizado nesta semana, o ex-vocalista do Simply Red, Mick Hucknall está se dedicando a um projeto inédito. Segundo ele, seu novo trabalho utilizou “influências do ‘rhythm and blues’ britânico para fazer algo original” e deve ser o topo de sua carreira.

Em American Soul o cantor e compositor dá uma interpretação própria de clássicos americanos herdados de Otis Redding, Etta James e The Animals. Para seu próximo trabalho, Hucknall deve trazer um material inédito. Embora esteja quase pronto, esse material ainda deve demorar para chegar ao público, já que ele quer que American Soul, “esgote seu ciclo de vida”.

O artista conta que começou a compor novas canções em 2010, ano em que Simply Red acabou, e já em 2011 começou a gravá-las. Na pausa desse projeto ele foi convidado a colaborar com Bill Wyman e The Faces, o grupo de Ronnie Wood e Rod Stewart. A partir de então, Hucknall começou a experimentar o repertório de R&B e resolveu seguir nessa linha em um novo álbum.
 
Como as canções do primeiro projeto, que viria a se tornar o “American soul”, já estavam compostas, ele terminou o disco antes de compor seu álbum com material inédito. Ainda assim, “American Soul” vai além das referências com as quais trabalhou no Simply Red e em álbuns como o bem-sucedido “New Flame”, de 1989, inspirado em artistas como Marvin Gaye e Barry White. “Nesse momento, a música dos anos sessenta soava realmente defasada e buscávamos sons mais modernos, embora eu adorasse essa época”, explica.

Mick Hucknal

Mick Hucknall – Divulgação

 
Mesmo com as expectativas para seu mais novo trabalho, Hucknall não tem motivos para se decepcionar. Autando como cantor e compositor desde a criação de Simply Red, em 1984, ele teve mais de 55 milhões de discos vendidos, três prêmios Brit e ficou 31 vezes no topo da lista dos álbuns mais vendidos no Reino Unido com a banda.
 
Após 25 anos, contudo, o grupo, que manteve apenas Mick Hucknal da formação original, decidiu se separar e realizou seu último show em 19 de dezembro de 2010. “Eu era o único compositor do Simply Red e chegou um momento no qual sentia que estava sendo explorado neste sentido”, conta Hucknall. A partir de então, ele deu início aos seus projetos individuais, que já havia experimentado antes com o disco “Tribute to Bobby”, que produzido em 2008, ainda quando o Simply Red existia.

Tudo o que sabemos sobre:

Mick HucknallSimply Red

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.