Michael Schenker, ás da guitarra, volta a São Paulo

Estadão

16 de fevereiro de 2011 | 08h40

Marcelo Moreira

Quem o viu na primeira vez em São Paulo, há dois anos, ficou maravilhado. Estilo esoalhafatoso, mas sem estrelismo, riffs certeiros, solos memoráveis. Michael Schenker deu uma aula de rock and roll no Stones Music Bar, na zona leste de São Paulo, em apresentação única na cidade em meados de 2009. Havia pouco mais de 500 pagantes, fruto de uma divulgação apresseda e pouco criteriosa.

Schenker, irascível e encrenqueiro, está mais tranquilo e gostou do Brasil. Deveria ter tocano de novo por aqui no ano passado, mas cancelou o show por conta de problemas de mudança na formação. Prometeu que voltaria, e cumprirá a promessa no dia 25 de fevereiro no Manifesto Bar, templo roqueiro da cidade. É a turnê e 30 anos de lançamento de seu primeiro álbum solo, “Michael Schenker Group”, em 1980.

Duas mudanças fundamentais na banda: sai o companheiro de longa data nos vocais, Gary Barden, que foi o cantor dos dois primeiros álbuns solo do guitarrista, e entra David Van Helsing, de currículo pouco extenso. Entretanto, na bateria, uma lenda substitui outra. Chris Slade, ex-The Firm e AC/DC, dá lugar a Carmine Appice (ex-Cactus, King Kobra, Beck, Bogert and Appice, Ozzy Osbourne e outros).

Schenker em ação no Stones Bar, em São Paulo, em 2009 (FOTO: EDUARDO KANECO)

Em recentes turnês pela Inglaterra e Alemanha Schenker mostrou que está realmente de bem com a vida. Parou de beber e diminuiu bastante o volume de encrencas.

O repertório de agora não deverá mudar muito em relação ao de dois anos atrás. Hits não faltam, como os grandes sucessos do UFO, como “Doctor Doctor”,  “Rock Bottom”, “Doctor Doctor” e “Lights Out”, e da e da carreira solo, como  “Armed And Ready”, “Let Sleeping Dogs Lie”, “Ready To Rock”, “Into The Arena”, “Rock My Nights Away” e “Attack Of The Mad Axeman”. 

Michael Schenker está com 56 anos de idade e criou sua reputação como virtuoso da guitarra executando solos rápidos e integrou duas lendas do roRock mundial, o UFO e o Scorpions, onde tocava com seu irmão mais velho, Rudolf Schenker.

 Com apenas 16 anos, gravou o álbum de estreia do Scorpions, “Lonesome Crow” (1972), e desde então se tornou um prodígio da guitarra. Com o UFO, gravou álbuns clássicos como “Phenomenon” (1974), “Force It” (1975), “No Heavy Petting” (1976), “Lights Out” (1977), “Obsession” (1978) e “Strangers in the Night” (1979).

Após deixar o UFO em 1979, retornou ao Scorpions, com o qual registrou três faixas para o álbum “Lovedrive” e então seguiu em carreira solo com o MSG, que completou trinta anos de sua fundação em 2010.

 Serviço – Michael Schenker Group:
Data: 25 de fevereiro (sexta-feira)
Horário: 22h (abertura da casa)
Local: Manifesto Bar
Endereço: Rua Iguatemi, 36, Itaim Bibi – São Paulo/SP
Fone: (11) 3168-9595
Cartões: Visa, Mastercard e Dinners
Débito: Visa Electron, Maestro, Rede Shop
Censura: 16 anos
Estacionamento próximo, na rua Joaquim Floriano
Acesso a deficientes / ar condicionado

Entrada: 2° lote R$ 90 / Camarote (coquetel + meet and greet) R$300
Vendas no Manifesto Bar, na loja Rockland (Galeria do Rock/SP) ou pela internet através do Ingresso Rápido (www.ingressorapido.com.br) e da Ticket Brasil (www.ticketbrasil.com.br).

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.