Matchbox 20 toca para os fãs mais fieis

Estadão

21 Setembro 2013 | 12h53

Julio Maria

O Matchbox Twenty está na família de Bon Jovi e de Nickelback e foi recebido como tal. Trouxe uma série de canções que muita gente já ouviu, que canta junto, e que não sabia que era deles. O público do rock farofa não liga para as especializações dos metaleiros. Só quer se divertir.

O jogo não estava tão ganho assim quando Rob Thomas chegou ao palco. Escolheu mal abrir com Bent e não conseguiu o impacto que poderia ter. Para seus fãs, é um hit inquestionável, mas carece de força para chamar um público que só estará ali por uma hora. Depois, aí sim, seguiu com Disease, um de seus hits mais radiofônicos.

“Olá Rio”, começou Rob Thomas. “Vocês estão prontos para a diversão? Então vamos nos divertir juntos”, e começou She’s So Mean. Resumia ali sua vida. O Matchbox faz música para tocar no rádio. Tem seu público teen bem definido e não faz esforço para envelhecer. Tocar Jumping Jack Flash, dos Stones, não foi só uma estratégia de quem quer jogar para a galera. Se um jovem sair de seu show querendo saber mais sobre os Stones, sua existência na Terra já foi justificada.

Mais conteúdo sobre:

Matchbox 20Rock in rio