Ledslay fecha as portas após quase 40 anos de muito rock

Estadão

05 de agosto de 2011 | 12h16

Marcelo Moreira

Notícia ruim para quem gosta de rock e mora na cidade de São Paulo. A tradicional casa noturna Ledslay, reduto do rock de qualidade na zona leste, anunciou  em 4 de agosto que está encerrando as suas atividades. Em comunicado sucinto e parco de informações em seu site, informa apenas que interrompe as atividades e que todos os shows agendados estão cancelados. Também diz que em breve “novo empreendimento será inaugurado”.

A trajetória da Ledslay chega ao fim um ano antes de completar 40 anos de atividade. Foi palco de memoráveis shows de bandas iniciantes e recebeu atrações de porte internacional, como Grave Digger, Exodus, Gorgoroth, Cannibal Corpse e Candlemass, entre outras.

A casa era de médio porte e tinha a preferência de muitos roqueiros por conta do fácil acesso – ficava na avenida Celso Garcia, no Tatuapé, via servida por diversas linhas de ônibus e também próxima de estações de metrô como Carrão e Tatuapé, além do trem metropolitano.

Apesar das glórias do passado, a Ledslay enfrentava problemas ao menos desde o segundo semestre do ano passado, quando passou pelo vexame de ter de cancelar o show dos ingleses do Anathema em cima da hora, em outubro, por conta da falta de alvará de funcionamento. A casa chegou a ser lacrada por funcionários da subprefeitura da Mooca.

Esse fato, entre outros, como reclamações dos frequentadores quanto à infraestrutura, ajudou a espantar eventos internacionais do local, embora ainda fosse um ponto importante para apresentações de bandas de rock em início de carreira ou em fase de consolidação.

A zona leste, portanto, fica apenas com o Kazebre e o Fofinho, na região de Aricanduva, como palcos para o rock, seja como bar, seja como local de espetáculos. Se existe a possibilidade do surgimento de uma nova Ledslay, que venha rápido.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: