Keith Moon recebe convite para tocar na Olimpíada de 2012

Estadão

19 de abril de 2012 | 12h00

Marcelo Moreira, com agências

Bill Curbishley é um empresário e produtor musical inglês veterano dos anos 70 e que foi o resposável pelo ressurgimento da banda maravilhosa The Who no final dos anos 70, após a tragédia da morte do baterista monstro Keith Moon. Muito experiente, achou que já tinha vistou e ouvido de tudo nesta vida roqueira. Só que não contava com um convite inusitado: os organizadores da Olimpíada de 2012 especulavam sobre a possibilidade de o Who tocar em algum evento dos Jogos, talvez até no encerramento. O convite era extensivo a toda banda, em especial ao baterista Keith Moon.

O empresário no princípio não entendeu o que se passava. Achou que era uma brincadeira. Mas assessores se certificaram de que a tal sondagem e o convite eram sérios: queriam que o Who tocasse, mas com Moon na bateria. Seria uma coisa fantástica ver o monstro de novo tocando, se ele não tivesse morrido em 1978 de overdose acidental de remédios contra o alcoolismo.

A situação inusitada foi revelada pelo jornal inglês “Sunday Times”. A publicação informou que os organizadores da competição pareciam não saber da morte do baterista, já que procuraram o empresário Bill Curbishley para perguntar sobre a disponibilidade de Moon. Coube a Curbishley avisar de forma descontraída sobre o ocorrido com o músico há mais de três décadas.

Keith Moon em 1967

“Mandei um e-mail de volta dizendo que Keith agora reside no crematório de Golders Green, levando adiante a frase hino do The Who: ‘Eu espero morrer antes de ficar velho’. Se eles tiverem uma mesa redonda, alguns copos e velas, podemos contactá-lo”, disse Curbishley, empresário do “The Who”, fazendo brincadeira em referência ao contato com espíritos. Não bastasse isso, parece que os autores do convite também ignoravam que o baixista John Entwistle tinha morrido em 2002.

Parece que há um desespero dos organizadores para encontrar alguma grande atração para fechar os Jogos Olímpicos. Houve uma sucessão de nãos: Paul McCartney (em razão de compromissos agendados anteriormente), Pink Floyd (a banda não existe mais e os remanescentes Roger Waters e David Gimour recusaram os convites) e Sex Pistols, entre outros.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.