Hellion amplia catálogo e reforça sua marca

Estadão

17 de novembro de 2011 | 06h19

Marcelo Moreira

A Hellion Records é uma das lojas pioneiras da Galeria do Rock, em São Paulo. Não só isso, foi responsável pela introdução, por meio de importação, de algumas das bandas de heavy metal mais conhecidas dos últimos 20 anos no Brasil. A loja cresceu e virou selo e gravadora independente. O resultado de tanto trabalho e empreendimento foi ter se tornado referência no mercado musical brasileiro.

Só em 2011 as novidades que a empresa trouxe mostram porque ela é uma das líderes nos lançamentos no rock pesado: licenciou no primeiro semestre os novos trabalhos do Nazareth (“Big Dogz”, Foreigner (“Can’t Slow Down When It’s Live”) e a versão dupla de “Rapture of the Deep”, o último trabalho do Deep Purple.

Mais recentemente, fez a alegria de quem gosta de rock pesado com o lançamento no Brasil do mais novo CD do Saxon, “Call to Arms”, em versão dupla, com DVD, e os dois trabalhos do Chickenfoot, o supergrupo formado por Joe Satriani, Sammy Hagar, Michael Anthony (os dois ex-Van Halen) e Chad Smith (Red Hot Chili Peppers).

Para este fim de ano, o forno da Hellion não para. O selo anuncia o licenciamento de novas versões remasterizados de três clássicos do Nighwish: “Oceanborn” (1998),” Wishmaster” (2000) e o EP “Over The Hills And Far Away”, de 2001, todos com a antiga vocalista, Tarja Turunen, e com vários bônus.

Não bastasse isso, também anuncia o lançamento com exclusividade para o Brasil do primeiro álbum do Harus, projeto de música clássica de Tarja Turunen. É um retorno às origens para a vocalista finlandesa. Se Tarja é conhecida por cantar rock/metal com estilo clássico, no Harus a proposta é trazer uma linguagem moderna para a música erudita.

O grupo estreou como grupo no Lahti Organ Festival em 2006 na Finlândia, mas seu primeiro registro só sai agora com “In Concert – Live At Sibelius Hall”.  O álbum chega ao Brasil em Dezembro em três versões diferentes: CD digipack nacional, DVD nacional e Blu-Ray + CD importado.

E aproveitando o show do Children of Bodom em São Paulo em dezembro, a Hellion lança ainda neste mês  “Relentless Reckless Forever”, o último álbum dos finalndeses. Produzido pelo ganhador do grammy Matt Hyde (Slayer, No Doubt, Monster Magnet), o CD  é o sétimo disco de estúdio da banda finlandesa e um dos candidatos a melhores do ano no rock pesado.

Também merecem destaque para este fim de ano o álbum dos russos do Pushkin, The World as We Love It”, recheado de convidados especiais, como Paul Stanley (Kiss), Billy Gibbons (ZZ Top), Alice Cooper, Glenn Hughes, Nuno Bettencourt (Extreme), Joe Lynn Turner (Rainbow), entre outros; o single beneficente WhoCares, com a participação de Tony Iommi, Ian Gillan, Nicko McBrain e Jason Newsted; Morbid Angel, com “Illud Divinum Insanum”; e Europe, com “Last Look at Eden”, em versão dupla em CD.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: