Hall of Fame: shows históricos para ver em casa

Estadão

25 de janeiro de 2011 | 08h19

Adriana Dal Ré

Em 2009, o Rock and Roll Hall of Fame comemorou 25 anos de existência com dois dias de concertos no Madison Square Garden, em Nova York. O evento reuniu nomes como Jerry Lee Lewis, U2, Patti Smith, Bruce Springsteen, Simon & Garfunkel, Metallica, Mick Jagger, Lou Reed, Ozzy Osbourne, Paul Simon, Jeff Beck, Aretha Franklin, entre tantas outras estrelas da música que fazem parte desse rol da fama. A festa seguiu os mesmos moldes do evento que, todo ano, presta homenagem a músicos de peso, em animadas cerimônias de gala.

O barato desses tributos são os formatos dos shows, que dão ênfase especial nos encontros de titãs no palco. Essas homenagens e encontros foram resgatados em DVDs e compilados na caixa da coleção Rock And Roll Hall of Fame Live (gravadora Coqueiro Verde; R$ 99,90).

São mais de 24 horas de rock’n’roll, blues, folk e soul, distribuídas sem uma ordem cronológica em nove DVDs. Ao todo, são 152 números musicais e 52 discursos de introdução, feitos pelos próprios artistas, além de 9 horas de cenas de bastidores dos concertos nos materiais extras.

Os registros datam do ano de 1986, quando artistas começaram a ser indicados para esse seleto clube, até a celebração do aniversário do Hall of Fame, em 2009. A Fundação Rock and Roll Hall of Fame foi criada em 1983, por Ahmet Ertegun, fundador da gravadora Atlantic, e Jann Wenner, fundador da revista Rolling Stone.

No entanto, a primeira cerimônia só aconteceu mesmo três anos depois. Está sediada num prédio na cidade de Cleveland, em Ohio, onde funciona também um museu, aberto no dia 1º de setembro de 1995.

Dueto de gigantes

De maneira geral, os concertos do Hall of Fame sempre foram realizados no hotel Waldorf Astoria, em Nova York, que acabou virando cenário de muitas jam sessions memoráveis. Uma delas uniu, em 1988, Mick Jagger e Bruce Springsteen, que protagonizaram um dueto de gigantes na música “(I Can’t Get No) Satisfaction”, sucesso do Rolling Stone.

No ano seguinte, a banda ingressou no Hall of Fame e Jagger retornou ao palco do evento, daquela vez, ao lado do furacão Tina Turner. Os dois relembraram os idos 1969, quando os Stones apresentaram a música “Honky Tonk Women” ao público americano e ela, acompanhada do ex-marido Ike Turner, abria os shows da banda. Anos depois, Ike & Tina Turner gravaram a mesma música, composta por Mick Jagger e Keith Richards durante férias no Brasil, no final de 1968.

Bruce Sprinsgteen e Mick Jagger cantam 'Satisfaction' (FOTO:Krause, Johansen/DIVULGACAO)

Já o rei da soul music James Brown foi uma das atrações do concerto em comemoração à abertura do museu do Hall of Fame, em 1995, no estádio municipal de Cleveland. No mesmo show em que se apresentaram nomes como Aretha Franklin, Lou Reed e Al Green, Brown incendiou a plateia com um de seus grandes hits, I Got You (I Feel Good), de 1965.

Em 2002, um ano depois da morte de Joey Ramone, a banda americana Green Day prestou sua reverência punk aos Ramones num cover à altura dos homenageados, no clássico Blitzkrieg Bop. Uma série para assistir, mas também para deixar rolar no DVD player.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: