Halford patina ao misturar metal e barulhos eletrônicos

Estadão

05 de outubro de 2010 | 08h14

Marcelo Moreira

Produção moderna, guitarras muito pesadas e efeitos eletrônicos estranhos. O novo álbum do cantor Rob Halford, “Halford IV- Made of Metal”, vai incomodar os ouvidos ansiosos por um heavy metal tradicional calcado no Judas Priest, banda da qual é vocalista, e até mesmo nos dois primeiros CDs solo, “Ressurrection” e “Crucible”.

Não se pode negar que o cantor é um artista corajoso. Quando saiu do Judas Priest, em 1991, no auge do sucesso do álbum “Painkiller”, Halford criou um projeto que destoava completamente de sua banda. O Fight, com músicos californianos, antecipou, de certa forma, elementos do do chamado new metal, que anos depois empesteou o mercado com bandas ruins como Korn, Limp Bizkit, Linkin Park, Slipknot e coisas do gênero.

As guitarras pesadas tinha afinações diferentes, o que deixou a maioria dos fãs um pouco decepcionados. Ele não se importou e usou critério puramente artísticos para manter o que tinha começado. O Fight não empolgou crítica e público e acabou após três trabalhos gravados.

Não teve medo de encarar em seguida um projeto mais esquisito ainda, ao lado do mentor e líder do Trent Reznor, do Nine Inch Nails (banda de rock industrial). O Two misturava o peso da música “industrial” tipo Ministry com ritmos eletrônicos e dançantes em alguns momentos, provocando repúdio entre os fãs de metal e indiferença no público em geral.

“Hoje eu assumo que foi um erro em termos profissionais, mas pode ter certeza que jamais terei medo de experimentar. A música não é estática e não quero ficar restrito a um único gênero, engessado”, disse o vocalista quando cantou no Rock in Rio, no Rio de Janeiro, em 2001, em uma entrevista ao Jornal da Tarde.

Nesta fase ele já tinha se arrependido do Two e voltara ao heavy tradicional com o CD “Ressurrection”, pesadíssimo e de alta qualilidade. “Ressurrection”, “Made in Hell” e “The One I Love to Hate” (um dueto maravilhoso com Bruce Dickinson, do Iron Maiden) foram as músicas que resgataram o vocalista do ostracismo e que recuperaram o respeito dos fãs.

Depois de voltar ao Judas Priest em 2004, ninguém esperava que ele fosse retomar a carreira solo. “Wintersongs”, lançado no ano passado, foi a primeira amostra de que Halford resolvera experimentar de novo. Poucos gostaram do CD com canções natalinas em versão metal.

Apesar das guitarras carcterísticas do seu metal moderno, com com um pé nos anos 80, as músicas estavam repletas de “barulhinhos” estranhos, elementos eletrônicos alheios ao mundo metálico. Havia também uma produção marcada pelo excesso de reverberação e por sons dobrados, acentuando a sensação de “música artificial”.

Tudo isso está presente em “Made of Metal”, não de forma ostensiva, mas não o suficiente para deixar de incomodar os puristas. Assim são “Made of Metal” e “The Mower”, os dois primeiros singles. O peso das guitarras está mais na “cara”, o baixo está mais presente e “gordo”, a bateria está ainda mais veloz, só que fica ainda a impressão de que há excesso de teclados e barulhinhos eletrônicos.

Quem escutou o álbum duplo “Live in Anaheim” ou asisstiu ao DVD homônimo – que servirão de base para o show que Halford fará em São Paulo em outubro – acreditava que “Made of Metal”, o álbum, seguiria a linha tradicional e pesada, com mais ênfase em critérios semelhantes aos que nortearam “Ressurrection” e “Crucible”. Talvez seja necessário esperar pelo próximo álbum do Judas Priest.

ROB HALFORD EM SÃO PAULO

 Data: 24/10/2010

Local: Carioca Club

Endereço: Rua Cardeal Arcoverde, 2.899

Horário: 20h

Ingressos: R$ 120,00 (pista) e R$ 200,00 (camarote)

Postos de Venda

Galeria do Rock

Rock Land – Rua 24 de Maio, 62, 1º Andar Loja 262 – Fone:( 11) 3362.2606

Carioca Club – Rua Cardeal Arcoverde, 2899 – Fone: ( 11 ) 3813-8598

Ingresso Online: http://www.ticketbrasil.com.br/halford.html

Informações: (11) 7527.4084

 Website: http://www.darkdimensions.com.br

Tudo o que sabemos sobre:

HalfordJudas PriestRob Halford

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: