Fleetwood Mac relança álbum 'Rumours' e volta à estrada

Estadão

03 Fevereiro 2013 | 07h32

Roberto Nascimento

As diretrizes do álbum de separação implicam que este seja gravado após o fato, com ex-amado ou amada à distância, servindo de amarga inspiração para a catarse musical.

No entanto, “Rumours”, o grande clássico do gênero, teve musas e criadores – duas crises e um triângulo amoroso – enclausurados no mesmo espaço por meses até dar luz a pérolas como “Dreams”, “You Make Loving Fun”, “You Can Go Your Own Way”, e outras, praticamente um álbum inteiro de clássicos que definiram a época.

Lançado originalmente em 1977, “Rumours” acaba de ganhar edição comemorativa de 35 anos, junto ao anúncio de que o Fleetwood Mac voltará à estrada. O disco inclui o álbum original, a faixa extra “Silver Springs”, gravações ao vivo e takes alternativos.

Nos registros ao vivo, a banda come pelas beiradas e recria o drama do disco, esticando músicas e reproduzindo-as com intensidade.

O genial guitarrista Lindsey Buckingham e sua brilhante companheira, a cantora Stevie Nicks, haviam se juntado à banda logo após lançar um primeiro disco como Buckingham Nicks. Mas o relacionamento azedou, e os dois encontraram-se trancafiados em um estúdio, em Sausalito, Califórnia, trocando farpas angustiadas através de canções.

“Veja lá você dizendo que quer ser livre, novamente”, canta Stevie em sua embalsamada “Dreams”. “Me feri uma vez, duas. Não voltarei”, responde Lindsey em “Never Going Back Again”.

São irônicas as cintilantes harmonias criadas pelos dois, tanto no estúdio quanto em versões ao vivo, como a de “Gold Dust Woman”. Na fantástica “Silver Springs”, que foi deixada fora do original, Nicks canta, sem velar qualquer sentimento: “Você disse que ela é bonita? E ela disse que te ama? Eu não quero saber”.

DivulgaçãoDivulgação

“Essas coisas não acontecem em uma relação normal. Nós trabalhávamos juntos 15 horas por dia, depois íamos para casa, descansávamos por dez horas, e voltávamos para o mesmo lugar no dia seguinte. Havia cocaína, outras drogas. Muita grana e muita angústia. Mas estávamos fazendo nossa melhor música”, contou Nicks em um documentário sobre o disco.

Mas foi só o primeiro ato de “Rumours”. Mick Fleetwood, baterista e líder do grupo, descobrira que sua mulher tinha um caso com seu melhor amigo. E o casal John (baixo) e Christine McVie (vocais) estava em crise. Enquanto Buckingham e Nicks digladiavam, Christine compunha coisas como “You Make Loving Fun”, que soa cínica em meio aos terremotos emocionais.

Não se exagera a importância de “Rumours”. O trabalho vendeu 40 milhões de cópias até hoje e foi um marco visionário: o sonho hippie acabara e “Rumours” anunciava os tons sóbrios do pop de FM que o sucederia.

 

FLEETWOOD MAC

Rumours (Super Deluxe)

US$ 27,99 (iTunes)

Mais conteúdo sobre:

Fleetwood Mac