Existe heavy metal de qualidade na África

Estadão

29 de agosto de 2012 | 06h45

Samuel Coutinho – blog Metal da Ilha

Uma bola de ferro pesada foi forjada em Birmingham, Inglaterra, por volta de 1970, lançada para os Estados Unidos, passando pela Grã-Bretanha através do N.W.O.B.H.M (New Wave of British Heavy Metal), e depois voltando para os EUA na onda thrash, e, eventualmente, encontrando o seu caminho na sucessão para o Japão, Brasil, Escandinávia, e cada vez mais nos cantos do mundo eletrificado.

A nova fronteira agora é a África. A banda de thrash/punk CONQUEST FOR DEATH visitou a África do Sul, Namíbia, Botsuana e Reunion Island, em 2007, retornando com fotos de fãs extasiados da música africana, incluindo uma roda de headbangers inveterados com vestes Botsuanas com couro. Esses missionários do metal foram seguidos pelas câmeras da CNN e da Vice, que divulgaram galerias online da moda do metal Africano. Uma mistura de cowboys com guerreios das ruas de Madmax.

Mais uma vez, como já aconteceu em qualquer outro lugar, o isolamento moldou uma raça nova e única de metalheads, como essas bandas africanas demonstram:

AMANAZ

 

Primeiro, uma parada em Zâmbia nos tempos antigos, 1975, para conferir um precursor do metal Africano. O Amanaz compôe músicas psicodélicas, tanto em Inglês como em sua língua nativa. Com guitarras fuzz e tambores africanos, “History of Man” lembra STOOGES e CREAM.

OVERTHRUST

A banda de death metal de Botsuana, Overthrust, é um trio que possui o mesmo nype das primeiras bandas de death metal da Flórida como MANTAS, AGGRESSOR e DEATH. Vestidos com túnicas de couro e luvas, eles são definitivamente parte da vanguarda do metal Africano, recolhenndo fãs de música perdidos e transformando-os em maníacos por heavy metal.

WRUST

 

Relativamente com um som mais polido, o Wrust também vindo de Botsuana, tem influência dos pioneiros do metal pelo mundo, com o SEPULTURA, combinando partes de death metal, groove e rock pesado.

SKINFLINT

 

Também de Botsuana, o Skinflint faz um heavy metal bem na veia de clássicos como IRON MAIDEN, sem mudar de direção, completamente afastada da tradição musical africana. Suas canções são igualmente com base na fantasia e na mitologia africana.

CRACKDUST

 

Completo com vocais guturais e bumbo duplo na bateria, o Crackdust faz um death metal brutal. Como muitos de seus compatriotas de Botsuana mencionados acima, o Crackdust formado em meados de 2000 vem trabalhando desde então para organizar eventos de metal sempre que surge uma oportunidade.

SASAMASO

 

Vindo da ilha de Madagascar, o Sasamaso faz algo interessante: uma mulher como front-woman de uma banda de thrash metal que faz canções na língua se seu próprio país.

JUGGERNAUGHT

Somando mais de quatro milhões de pessoas, a população branca da África do Sul é igual à população negra de Nova York além de toda população da Califórnia. Não surpreendentemente, com vínculo europeu, estes jovens se uniram e formaram mais um banda de grindcore lembrando o GROINCHURN da África do Sul. Mais recentemente, os barbudos do Juggernaught fazem um metal vindo da selva africana que facilmente seria confundido com algo do Alabama ou da Geórgia.

Tendências: