Evangélicos querem banir o rock de cidade do MS

Estadão

12 de abril de 2013 | 15h18

Marcelo Moreira

Uma cidade do interior do Brasil quer acabar com o rock. Ou, pelo menos, parte da comunidade evangélica de Nova Andradina, no Mato Grosso do Sul. Infelizmente ainda existem locais no país que estão mergulhados nas trevas e na ignorância total, mas jamais poderia imaginar que haveria gente fazendo questão de viver na Idade Média e ainda bradar como isso é legal.

O trecho abaixo foi extraído do blog Jesus Manero – www.jesusmanero.blog.br. A iniciativa de “acabar com o rock”  é tão absurda que parece ser deliberadamente cômica:

Evangélicos prometem acabar com o rock até o fim do semestre

Foi realizada na manhã desta terça-feira (8) no município de Andradina, interior de Mato Grosso do Sul, uma mobilização por parte da comunidade evangélica visando coibir na região o estilo musical, segundo eles, ofensivo e pesado demais. Os manifestantes se reuniram em frente à prefeitura para que o movimento fosse reconhecido.

O pastor Evandro, organizador da mobilização, alega que com a coibição do estilo musical na cidade, o índice de violência irá cair. “A maioria dos casos registrados de violência aqui são em shows de rock e nós entendemos que isso não é saudável para os jovens como é, por exemplo, a música gospel”, afirma o pastor.

protesto Evangélicos prometem acabar com o rock até o fim do semestre

A proposta é impedir que aconteçam festivais de música na região e gradualmente, segundo Evandro, intimidar que novas bandas surjam. “O rock nunca adicionou nada para essa cidade e faz parte do plano de Cristo que ele não exista mais aqui”, diz o pastor. Uma revolta nas redes sociais aconteceu por conta dessa atitude e cerca de 500 jovens do município estão organizando uma mobilização para mostrar que estilo musical não define caráter. “Tanto o rock como qualquer outro tipo de música representa a cultura de uma região e o que ele que fazer é uma espécie de ditadura”, afirma André Souto, vocalista e guitarrista de uma renomada banda na região.

A reunião dos evangélicos com o prefeito acontecerá dia 17 de maio.

Fonte: Evangelho Hoje

A existência de tal pensamento medieval na sociedade atual é perniciosa e não pode ser subestimada. Muita gente, inclusive parte da imprensa, trata gente alucinada como o deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) como folclórica e até engraçada, quando não uma aberração somente.

O deputado e gente que pensa como ele são aberrações sim, mas são perigosos, porque contam com apoio de parcela expressiva do eleitorado e parcela expressiva da comunidade evangélica – a mais retrógrada, a mais medieval, a mais reacionária, a mais ignorante e a mais intolerante.

É bom que lixos como o escrito acima sejam bastante divulgados e compartilhados – primeiro como fonte de diversão, por ser realmente uma piada, mas, em segundo lugar, para servir de alerta para que a sociedade lúcida, inteligente e de bom senso possa combater esses seres das trevas.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: