Europe traz o rock de arena dos anos 80 a SP

Estadão

05 de novembro de 2010 | 08h15

Felipe Branco Cruz

Europe é uma daquelas bandas que foram capazes de compor um super hit identificável logo no primeiro acorde. E a tal música é uma daquelas que passa dias na cabeça do ouvinte. É o caso da canção “The Final Countdown”, que marcou a década de 80 como uma das mais executadas nas rádios mundiais e vendeu, somente nos Estados Unidos, 3 milhões de cópias.

 A música, inclusive, foi tema do filme “Rocky IV”, de 1984, com Sylvester Stallone. Para quem não se lembra da música, basta digitar o título no Youtube para reviver esse clássico.

Formada na Suécia, em 1979, a banda Europe ganhou projeção mundial em 1986, justamente com o lançamento de “The Final Countdown”. Agora, mais de 30 anos após a fundação do grupo, o Europe faz show único, pela primeira vez no Brasil, nesta sexta-feira, às 22h, no HSBC Brasil.

Por telefone, da Suécia, o vocalista Joey Tempest conversou com o JT e afirmou que o show incluirá os clássicos – como “Carrie”, “Rock The Night” e “Cherokee” –, mas que o foco é o novo trabalho da banda, que voltou à ativa em 2003. E diferentemente do que a plateia pode pensar, essa não será uma apresentação apenas romântica, e sim um show de rock. “A turnê privilegiará as canções do nosso novo álbum, “Last Look at Eden”, lançado no ano passado”, diz ele.

O set list incluirá, ainda, “Love is Not The Enemy”, do álbum “Secret Society”, de 2006, e outras músicas, como “Superstitious”, “Scream Of Anger” e “No Stone Unturned”. “Acho que você só sabe se uma banda é boa se assisti-la tocando ao vivo. Nesse quesito, o show do Europe é fantástico”, garante Joey.

As baladas românticas são fundamentais nesse espetáculo, o que torna bastante comum a presença de casais na plateia. “Acho legal ver os casais no meio do público. Mas nosso show é para pular. Fazemos rock”.

A formação da banda será a clássica, que deu fama ao grupo na década de 80, com Tempest (vocal), John Norum (guitarra), John Levén (baixo), Mic Michaeli (teclado) e Ian Haugland (bateria). Depois de 30 anos de estrada, o cantor diz que deixou o visual glam (com cabelos compridos ondulados e roupas espalhafatosas) de lado, mas que não abandonará os cabelos longos – agora, lisos.

Ele conta, ainda, como o grupo fez para se manter unido por tanto tempo. “Respeitamos uns aos outros e, principalmente, gostamos de estar no palco, tocando juntos”.

Somados, todos os álbuns lançados pela banda sueca desde seu nascimento ultrapassam a impressionante marca de 20 milhões de discos vendidos pelo mundo, até 1992, quando eles resolveram dar um tempo na carreira. O grupo só retornaria em 2003. De lá para cá, lançaram três álbuns: “Start from the Dark”, “Secret Society” e o mais recente, “Last Look At Eden”. Mas os anos 80 ainda são sua melhor época.

Tudo o que sabemos sobre:

EuropeJoey TempestJohn Norum

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: