Dr. Sin estreia catálogo completo no iTunes

Estadão

06 de maio de 2013 | 06h54

Marcelo Moreira

Até que demorou, mas o Dr. Sin finalmente entrou no seleto grupo de bandas brasileiras com catálogo disponível no iTunes. A partir de amanhã, terça-feira, quem quiser comprar os nove álbuns do trio paulistano pela maior loja virtual de música do mundo poderá fazê-lo, gastando em média US$ 0,99 por música. Quem quiser comprar o pacote completo, chamado de “Complete Edition”, contendo todos os álbuns, ganha um desconto considerável.

Sepultura, Krisiun, Andre Matos e Almah já possuem álbuns sendo vendidos do iTunes. Com a entrada do Dr. Sin, ficam faltando apenas Angra e Korzus, do primeiro time do metal nacional, a vender suas músicas digitalmente na maior loja de música de mundo.

“Foi uma oportunidade. Muita gente está conhecendo o trabalho do Dr. Sin e fãs antigos ainda estão correndo atrás dos nossos CDs, mas estão com dificuldades para encontrá-los. Resolvida a burocracia, faremos o lançamento mundial de nossa discografia em formato digital nesta terça-feira”, diz o empolgado baterista Ivan Busic.

Estarão disponíveis os sete álbuns de estúdio e os dois ao vivo gravados em 21 anos de carreira. Até junho o oitavo autoral, o sucessor de “Animal” (2011), chega às lojas, ao mesmo tempo em que o primeiro álbum solo de Ivan Busic. “É um sonho gravar um CD com músicas próprias e produzido pelo meu irmão Andria. O som é bem diferente do que o Dr. Sin faz, contempla uma gama maior de influências, vai do blues puro até o hard rock com bastante pegada”, diz o baterista.

Felizes com o ingresso na era digital, outro fato os deixa mais felizes ainda em 2013: a retomada da parceria com Michael Vescera, importante cantor de heavy metal com passagens marcantes com a banda de Yngwie Malmsteen e os japoneses do Loudness. Ele foi integrante do Dr. Sin por pouco tempo, em 1997, quando gravou o excelente “Dr. Sin II”. Por questões logísticas, o norte-americano não pôde continuar a parceria, mas a amizade permaneceu.

“Foram vários os motivos que não possibilitaram a continuidade da parceria, o Mike tem mil e uma atividades e mora nos Estados Unidos. Entretanto, o fato de não trabalharmos mais juntos por um bom tempo não alterou em nada nossa relação, continuamos tão ou mais amigos do que sempre fomos. Ele sempre disse que queria voltar a trabalhar com a gente, desta vez ele conversou com o Ivan e forçou a barra. Não deu para dizer não – nem queríamos (risos). Era hora de voltarmos”, afirma Andria Busic, irmão de Ivan, baixista e vocalista do trio.

A novidade é que Vescera não não reingressará no Dr. Sin. “Será um projeto diferente. Nunca tive problemas e ter um vocalista na banda, até prefiro, de certa forma, me concentraria mais no baixo. Foi uma época instigante e de efervescência criativa quando estivemos com ele. Só que desta vez vamos fazer algo diferente”, pondera Andria.

Ivan é quem dá mais detalhes. “Nossos fãs não aceitam outro vocalista que não seja o Andria. Ele é a voz, o frontman, aquele que leva para a frente. Qualquer outro vocalista, mesmo que seja o Mike, que um irmão nosso, teria de carregar este estigma. Na época do ‘Dr. Sin II’ teve gente que gritou ‘Andria, Andria’ em um show nosso. É chato isso. Vamos preservar a banda e o Mike. O que faremos será um projeto paralelo, sem nome ainda, na área do heavy rock e do heavy progressivo, mas com referências nos anos 70. Tanto que haverá bastante ênfase nos vocais e haverá a necessidade de um teclado.”

O novo projeto prevê, por enquanto, apenas a gravação de um álbum. “Nós queremos nos divertir. É uma reunião de grandes amigos, que sentiram a necessidade de criar música novamente juntos. Vamos compor, gravar e tocar juntos. O que vier depois disso é consequência. Estamos muito confiantes de que poderemos fazer algo bem diferente do que já fizermos e do que existe no mercado brasileiro”, completa Andria.

Heavy rock progressivo? Algo a ver com prog metal? Como ficaria a guitarra de Edu Ardanuy, o titular das seis cordas do trio e um dos magos do instrumento do Brasil.”Admiro gente como John Petrucci, do Dream Theater, e reconheço que outros guitarristas do subgênero são excepcionais, como Kiko Loureiro e Rafael Bittencourt, do Angra, o guitarrista antigo do Stratovarius (Timo Tolkki), mas o meu estilo é bem diferente. Priorizo mais a melodia e o trabalho com Vescera será uma coisa bem diferente e estimulante na minha carreira”, diz Ardanuy.

Em relação ao novo álbum do Dr. Sin também haverá uma novidade: o retorno às origens de power trio. Nos últimos álbuns, o tecladista Rodrigo Simão era presença constante como convidado muito especial, assim como nos shows. “Rodrigo é e sempre será da família, continuará nos acompanhando nos shows, mas decidimos que agora é hora de resgatar uma sonoridade mais orgânica e urgente, como o power trio que éramos quando surgimos. O vigor sempre esteve conosco, assim como a qualidade musical, mas quisemos resgatar um pouco da sonoridade mais direta e sem tantos detalhes”, explica Andria.

O agitado semestre do Dr. Sin será completado, por enquanto, com uma celebração e a participação na Virada Cultural Estadual. O trio receberá no palco do Manifesto Bar, em São Paulo, no próximo dia 25 de maio, o vocalista Sheman e o guitarrista Daril Parisi para um tributo à banda Platina, a primeira na qual os irmãos Busic efetivamente tiveram alguma participação.

Fica, apenas, a decepção pela falta de convite para tocar na Virada Cultural paulistana – um grande absurdo, diga-se de passagem – e, muito pior, a falta de um convite para tocar no Rock in Rio 2013, que terá Sepultura, Almah, André Matos, Viper, Krisiun, Viper e Hibria. Dr Sin e Korzus, ausências imperdoáveis.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Dr. Sin

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.