Destruction só acaricia no início do final do Rock in Rio

Estadão

22 Setembro 2013 | 21h00

Jotabê Medeiros

Faltou peso e poder de fogo à veterana banda de thrash metal alemã Destruction, que abriu a jornada internacional no palco Sunset no último dia do Rock in Rio. O grupo teve como convidados os brasileiros do grupo gaúcho Krisiun, que foi chamado ao palco após 8 músicas.

O Destruction abriu com Curse the Gods, e seu repertório prometia, além da faixa Bestial Invasion, uma verdadeira invasão bestial, mas a plateia ainda estava chegando e participou pouco. Era ainda uma sessão de aquecimento, mais do que de arremate. Eles tocaram depois Trash till Death, Spiritual Genocide (nome também de seu último disco, lançado em 2012), Nailed to the Cross, Mad Butcher, Armageddonizer e The Butcher Strikes Back.

Foi quando o cantor e baixista Marcel Schmier (grande vocalista, mas o grupo não estava em tarde inspirada) chamou ao palco o Krisiun, anunciando os brasileiros como uma das grandes bandas de heavy metal da América do Sul. Juntos tocaram Black Metal, e com dois bateristas, o som ficou mais encorpado. Aí iniciou-se um set do Krisiun sozinho.

Mais conteúdo sobre:

DestructionKrisiunRock in rio