'Decidimos apertar os freios', diz líder do Foster the People

Estadão

07 de abril de 2012 | 07h00

Roberto Nascimento – O Estado de S.Paulo

O refrão de Pumped Up Kicks, música mais conhecida da banda americana Foster the People, tem o tipo de imediatismo comportado que cai bem em trilhas de novela: o appeal é descolado o suficiente para agradar à moçada, e careta o bastante para agradar aos pais – algo com um potencial semelhante a Young Folks, de Peter, Bjorn and John.

 Foster the People se apresenta no segundo dia do Lollapalooza - Divulgação

Divulgação
Foster the People se apresenta no segundo dia do Lollapalooza

Assim como o grupo sueco, o sucesso da banda tem sido internacional. Seu hitmaker e líder Mark Foster falou ao Estado sobre a trajetória da banda, que toca neste domingo no Lollapalooza.

Lembro de ter ouvido Pumped Up Kicks no início de 2010, mas a música só pegou no ano passado. Como foi que isso aconteceu?

A canção foi muito comentada nos blogs durante aquele ano. Mas nós éramos uma banda apenas há alguns meses, estávamos passando por um processo de integração. Então decidimos apertar os freios e segurar até que tivéssemos um disco para sustentar o sucesso da música. Esperamos e conseguimos um contrato com a Columbia.

E como tem sido a gravação do novo disco? Há muita pressão?

A maioria das músicas já estava escrita antes, durante a primeira turnê. São coisas que eu guardo na minha biblioteca pessoal. Será o que será. Estou curioso para ver o que os outros músicos podem trazer para a banda.

Como você os conheceu?

Eu cantava e tocava violão, mas comecei a me interessar por sonoridades eletrônicas. Aí resolvi montar uma banda.

Tudo o que sabemos sobre:

Foster The PeopleLollapalooza

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.